Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Demanda da Gol cresce em dezembro com preços estáveis

SÃO PAULO (Reuters) – A Gol Linhas Aéreas registrou em dezembro indicador de preço das passagens aéreas estável em relação a novembro, encerrando o quarto trimestre com alta de cerca de 2 por cento no comparativo anual.

O yield, indicador de preço de tarifas, ficou entre 21 e 21,5 centavos de real em dezembro, informou a empresa nesta terça-feira.

“A projeção estimada de crescimento da oferta foi em linha com as expectativas para 2011”, informou a Gol em comunicado, acrescentando que a expansão da demanda no mercado doméstico atingiu níveis históricos, apresentando elasticidade em relação ao crescimento do PIB acima da média histórica de 3 a 3,5 vezes.

A expansão se deu, principalmente, pelo cenário de tarifas mais baixas do mercado na primeira metade de 2011, segundo a empresa.

“A Gol, por ter adotado uma estratégia prudente de adição de capacidade no mercado doméstico, apresentou um crescimento menor em sua demanda doméstica quando comparada à indústria e ficou levemente abaixo da estimativa inicial para o ano de 2011.”

A companhia aérea, que disputa a liderança do mercado doméstico com a TAM, apresentou crescimento de 2,8 por cento nesse mercado em relação a dezembro de 2010, por conta do aumento no tráfego de passageiros no mercado nacional durante das festas de final de ano.

Já em relação a novembro o avanço foi de 8,5 por cento, “resultado do maior número de dias operados e da sazonalidade”.

No mercado internacional, entretanto, a Gol registrou em dezembro queda de 24 por cento na demanda em relação ao último mês do ano anterior. Segundo a empresa, isso ocorreu por conta da devolução de 3 aeronaves Boeing 767 que operavam fretamentos internacionais e da descontinuidade da operação para Bogotá, na Colômbia.

“Em relação ao mês de novembro, a demanda internacional apresentou aumento de 3 por cento em função da sazonalidade e maior número de dias operados entre os meses”, informou a Gol.

Enquanto isso, a taxa de ocupação doméstica foi de 65,5 por cento no último mês de 2011, o que representa queda de 3,5 pontos percentuais em relação ao mesmo mês de 2010, mas aumento de 2,3 pontos percentuais ante novembro.

Se for levada em conta a WebJet, adquirida pela Gol em meados de 2011, a taxa de ocupação em dezembro ficou em 66 por cento, abaixo dos 68,3 por cento de dezembro do ano anterior e acima dos 64 por cento de novembro.

(Por Carolina Marcondes)