Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Delta investe US$100 mi para ter 3% do capital da Gol

Por Carolina Marcondes

SÃO PAULO (Reuters) – A Delta Airlines e a Gol anunciaram nesta quarta-feira uma parceria estratégica em que a companhia aérea norte-americana fará um aporte de capital de 100 milhões de dólares na empresa brasileira, ficando com uma parcela minoritária de 2,9 a 3 por cento no capital da Gol.

O investimento da Delta, uma das maiores companhias aéreas do mundo, ampliará o acesso da empresa norte-americana ao maior mercado de aviação da América Latina e dará à Gol mais capital e uma importante sócia com malha internacional.

No final do terceiro trimestre, a Gol tinha em caixa 2,127 bilhões de reais, ou 29,6 por cento de sua receita líquida dos últimos 12 meses, e uma dívida líquida de 2,597 bilhões de reais.

O presidente da Gol, Constantino de Oliveira Junior, garantiu que a parceria anunciada nesta quarta-feira não mudará o conceito de baixos custos da empresa.

Além de ingressar no capital da Gol, a Delta irá assumir os contratos de arrendamento de duas aeronaves Boeing 767 e suas peças sobressalentes da Gol.

“A Delta viu valor nisso e é mais uma coisa que complementa a gente”, disse o vice-presidente financeiro da Gol, Leonardo Pereira, em teleconferência com analistas.

Oliveira, enquanto isso, afirmou a jornalistas que a companhia “está mais próxima do que já esteve de ter uma frota padronizada. Isso com certeza agrega valor para a Gol”.

As ações da Gol disparavam após o anúncio, subindo 6 por cento às 15h54, enquanto a rival TAM subia 0,45 por cento e o Ibovespa recuava 0,74 por cento.

AUMENTO DE CAPITAL

A entrada da Delta no capital da Gol será por meio da compra de recibos de ações em Nova York da empresa brasileira, representativos de papéis preferenciais na Bovespa. A Delta se dispôs a pagar 22 reais por ação preferencial da Gol, um prêmio de quase 50 por cento em relação ao preço de fechamento na terça-feira, de 14,96 reais.

“As ações (preferenciais) são as mais líquidas do mercado… a Delta deve ter o mesmo direito que outros investidores”, disse Pereira, explicando porque as ações lastreadas serão preferenciais e não ordinárias, que dão direito a voto.

O aumento de capital da Gol para acomodar a Delta será de cerca de 280 milhões de reais, incluindo o direito de subscrição dos demais acionistas da empresa. O conselho de administração da Gol se reunirá em 21 dezembro para deliberar sobre a operação.

O presidente da Delta, Ed Bastian, será membro independente do conselho da Gol e o montante investido entra para a empresa já em dezembro e será utilizado no aumento de caixa e redução da alavancagem.

Bastian afirmou que não existem conversações para um novo aumento de capital da Gol.

CODE SHARE

O presidente da Gol afirmou que o acordo feito com a Delta não faz nenhuma referência a uma possível entrada da Gol em uma aliança global de companhias aéreas. Atualmente, a Delta faz parte da SkyTeam.

A Gol adota uma estratégia de acordos unilaterais ou bilaterais com companhias aéreas. No caso da American Airlines, o acordo vale até o terceiro trimestre de 2012. “Depois disso vamos manter o acordo com a Delta… será a primeira vez que poderemos colocar nosso código em voos da Delta”, disse Oliveira.

A Gol espera que tanto o compartilhamento de voos quanto a integração dos programas de milhagem das duas companhias ocorra entre o terceiro e quarto trimestres do ano que vem.

A entrada da Delta no capital da Gol ocorre em meio a um movimento global de consolidação do setor aéreo, que enfrenta preços de combustíveis em alta e demanda reprimida por viagens em boa parte do mundo.

Mesmo no Brasil, o tráfego aéreo de passageiros que vinha crescendo dois dígitos nos últimos anos deve desacelerar a expansão em 2012 para um dígito.

A maior rival doméstica da Gol, a TAM, trabalha no processo de fusão com a chilena LAN para criar o maior grupo de aviação da América Latina.

Questionado sobre se a criação da Latam interferiu na decisão da Gol em permitir a entrada da Delta, Oliveira enfatizou que “as negociações levaram um ano e meio, dois anos”, mostrando que as conversas tiveram início antes de agosto de 2010, quando TAM e LAN anunciaram a intenção de se unir.