Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Cyrela reitera que voltará a ter margens históricas em 2012

Por Da Redação 10 nov 2011, 12h13

SÃO PAULO (Reuters) – A Cyrela Brazil Realty reiterou nesta quinta-feira que voltará a atingir margens históricas em 2012 e que fechará este ano com as metas de vendas e lançamentos cumpridas.

“Temos a expectativa de reduzir um pouco as despesas este ano, mas a redução maior virá em 2012”, disse o presidente-executivo da construtora e incorporadora, José Florêncio Rodrigues, em teleconferência nesta quinta-feira.

A companhia divulgou na véspera queda de 16,6 por cento no lucro líquido do terceiro trimestre, impactado por maiores despesas na relação anual e pela elevada base de comparação com o terceiro trimestre de 2010, quando não havia revisado para cima os custos de construção.

As despesas comerciais totalizaram 122 milhões de reais nos três meses até julho, quase 15 por cento menores que no segundo trimestre, mas 17,4 por cento acima de igual intervalo de 2010.

“Teríamos uma redução maior (das despesas) se não fosse a aquisição da Cyrela Nordeste”, assinalou o executivo. A consolidação da aquisição de participação na unidade nordestina teve impacto negativo de 3 milhões de reais nessa linha.

Segundo Florêncio, a Cyrela deve “voltar a margens históricas em 2012”, com estimativa de aumento já no atual trimestre. No trimestre passado, a margem bruta ficou em 28,6 por cento.

A recuperação, conforme o diretor de incorporação da empresa, Ubirajara Freitas, será favorecida pela liquidação de projetos antigos, em que a companhia contava com maior participação de parceiros, o que resultará em menores custos de construção.

Continua após a publicidade

“Acabando o reconhecimento de obras antigas, a margem bruta tende a se estabilizar”, disse ele, ressaltando a criação de diretorias para padronizar os processos produtivos, também com o objetivo de reduzir custos.

De acordo com o executivo, do total de lançamentos realizados no terceiro trimestre, a participação de parceiros foi de somente 10 por cento, sendo o restante executado pela própria Cyrela.

Em relação às metas traçadas para o ano, Freitas afirmou que a empresa está “confortável” para atingir o ponto mínimo das estimativas, tanto em vendas quanto em lançamentos, apoiada em um nível de velocidade de vendas “saudável”.

Nos três meses até setembro, a companhia apurou velocidade de vendas –medida pela relação de venda sobre oferta– de 20,7 por cento, resultado sobretudo da comercialização de estoques.

“Nossa velocidade de vendas em lançamentos é bastante rápida”, acrescentou Freitas, justificando a possibilidade de cumprimento das metas anuais.

Até setembro, a incorporadora atingiu 60 por cento do ponto mínimo da meta de lançamentos e vendas para 2011.

As ações da Cyrela se valorizavam em 2,47 por cento às 12h55, cotadas a 14,50 reais, enquanto o Ibovespa subia 0,53 por cento.

(Por Vivian Pereira)

Continua após a publicidade
Publicidade