Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cuidado! Sites denunciados pelo Procon aderem ao ‘Dia do Frete Grátis’

Lojas foram listadas pelo órgão de defesa do consumidor em um relatório de sites a serem evitados

Até as 23h59 desta sexta-feira, consumidores poderão fazer compras em dezenas de lojas virtuais que aderiram ao Dia do Frete Grátis na tentativa de ampliar suas vendas no final do mês de abril. A iniciativa, criada pelos principais varejistas do país em parceria com o site Busca Descontos, visa oferecer entrega gratuita para todo o Brasil, desde que os produtos sejam adquiridos pelas lojas participantes da ação – que podem ser encontradas no site do Busca Descontos.

Contudo, lojas que, no início da semana, foram denunciadas pela Fundação Procon-SP por não terem respondido às reclamações de consumidores, não só se mantiveram no ar ao longo da semana, como também oferecem frete grátis nesta sexta-feira. Segundo o Procon, as lojas devem ser evitadas porque os proprietários não foram encontrados pelo órgão – e não responderam a nenhuma reclamação de consumidores lesados durante a compra.

Entre as lojas que estão presentes na lista divulgada pelo órgão e aderiram à promoção do frete estão a Liquida Iphone, Eletro MM, Armazem Games, Cia da Pechincha e XEletro. Contudo, nenhuma das lojas está listada no Busca Descontos como sendo um estabelecimento parceiro da ação de frete grátis.

Leia também:

Site oferece descontos irreais, não entrega e é banido pelo Procon

Sites de vendas burlam a Receita e podem prejudicar consumidores

Dicas – Segundo a Proteste Associação de Consumidores, os clientes devem ficar atentos aos riscos de aproveitar descontos e frete grátis de páginas não confiáveis. “É importante observar se as páginas de cadastro são seguras, antes de fornecer dados pessoais e o número do cartão de crédito”, indica a associação.

A Proteste recomenda, ainda, que o consumidor pesquise nas redes sociais e em entidades de defesa do consumidor para verificar as queixas disponíveis contra as lojas. “Desconfie de preços muito abaixo da média do mercado. Salve todas as etapas da compra ou imprima as telas para se documentar em caso de problemas futuros”, alerta.

Caso haja descumprimento do prazo ou qualquer cobrança indevida, o órgão recomenda que os consumidores entrem em contato com uma entidade de defesa do consumidor para formalizar a queixa, ou recorram ao Juizado Especial Cível.

A Proteste relembra que o site de compras não pode empurrar a responsabilidade pelo atraso ou extravio de um produto para a transportadora. Mesmo terceirizando o serviço, a varejista também responde pela entrega da mercadoria na casa do consumidor.

O site de VEJA preparou uma página de Perguntas e Respostas sobre como o consumidor pode buscar seus direitos em casos de compras não recebidas.