Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Crise da água pode prejudicar oferta de alimentos no Brasil

Segundo diretor-geral da FAO, órgão de agricultura da ONU, estiagem pode elevar preços

Por Da Redação 2 fev 2015, 14h42

A oferta de alimentos no Brasil poderá cair com a crise hídrica, na opinião de José Graziano da Silva, diretor-geral da agência da ONU para agricultura e segurança alimentar (FAO). Em entrevista à BBC, ele explicou que o país passa por uma “quebra enorme” da safra de todos os produtos e que a estiagem deve resultar em preços mais altos nas prateleiras nos próximos meses.

“Estamos tendo uma quebra enorme da safra de todos os produtos. Até mesmo da cana de açúcar, que é bastante insensível ao regime de chuvas. Isso vai resultar em aumento de preços”, disse na última cúpula da Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac), na Costa Rica, na semana passada.

Silva acredita que a estiagem pode elevar os preços dos alimentos de forma substancial. “Há uma irregularidade da produção. Situações de seca, que antes se repetiam a cada cem anos, agora ocorrem a cada 20 anos.”

Para ele, há duas frentes a se trabalhar: promover estoques em áreas que o país ainda não tem e utilizar culturas mais produtivas, que resistam melhor a secas. “O Brasil tem alguns estoques bons, como o de milho, fruto da boa colheita do ano passado, mas não tem em outras áreas. Precisa até importar trigo”, disse.

Leia também:

Tribunal de Justiça reduz sessões por falta d�’água em SP

Com racionamento de água e energia, PIB pode cair até 2% em 2015

Para ele, o Brasil terá de ampliar seus estoques de alimentos e privilegiar culturas mais resistentes a secas, já que o calor e a falta de chuvas estão cada vez mais frequentes por causa das mudanças climáticas. Ele ressaltou que os efeitos do El Niño (superaquecimento das águas do Pacífico que esquenta a atmosfera) foram muito maiores que o esperado. “Estiagem prolongada prejudica a agricultura e expõe deficiência no planejamento de grandes cidades do Sudeste”, destacou.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês