Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Criação de vagas até outubro de 2013 supera o ano de 2012

No acumulado deste ano, o mercado formal de trabalho contratou 1,46 milhão de trabalhadores; em todo o ano passado foram criadas 1,37 milhão de vagas

O Brasil registrou abertura de 94.893 vagas de trabalho no mês passado, abaixo das 110 mil esperadas, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho nesta quinta-feira. O saldo foi influenciado, sobretudo, pelas contratações na indústria e no comércio. De acordo com o Caged, o comércio assinou a carteira de 52.178 trabalhadores e a indústria abriu 33.474 vagas.

Contudo, o resultado de outubro contribuiu para que, no acumulado dos dez primeiros meses do ano, o mercado formal de trabalho tenha criado mais vagas do que em todo o ano de 2012. De janeiro a outubro, houve a contratação líquida de 1,46 milhão de trabalhadores. O número é 18,29% superior ao verificado no mesmo período do ano passado, quando 1,23 milhão de vagas foram criadas. O dado de 2013 também é superior ao total de 2012, quando foram criadas 1,37 milhão de vagas. O resultado consolidado mostra recuperação do emprego em relação ao ano anterior.

Leia também:

Criação de postos de trabalho permanece concentrada, diz IBGE

Setores – Segundo o MTE, o setor de serviços liderou a criação de vagas até outubro, com 594.307 postos criados (contra 644.155 no mesmo período do ano passado). Já a indústria de transformação contratou 320.386 trabalhadores no mesmo período. De janeiro a outubro do ano passado, a indústria teve saldo líquido de 76.666 vagas e a construção civil registrou a abertura de 207.787 postos com carteira assinada, contra 138.799 vagas no mesmo período de 2012. Já o setor agrícola criou 104.292 empregos nos dez primeiros meses deste ano (contra 2.995 no mesmo período de 2012), enquanto o comércio abriu 184.735 vagas formais de janeiro a outubro de 2013 (contra 352.642 vagas abertas nos nove primeiros meses de 2012).

Os números do acumulado de 2013 foram ajustados para incorporar as informações enviadas pelas empresas fora do prazo (até o mês de setembro). Os dados de outubro ainda são considerados sem ajuste.

Durante a manhã, o IBGE divulgou que a taxa de desemprego no país recuou para 5,2% em outubro, melhor patamar no ano, mas mostrou que o rendimento médio da população parou de subir, após dois meses de avanço.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)