Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Crescimento de modo precário ‘nos levaria novamente ao início da crise’, diz Merkel

Por Odd Andersen 10 Maio 2012, 07h25

A chefe do governo alemão, Angela Merkel, reiterou nesta quinta-feira sua rejeição a um crescimento impulsionado pelo endividamento e considerou que esta política “nos levaria novamente ao início da crise”, em um discurso perante o Parlamento alemão.

“Um crescimento através de reformas estruturais é importante e necessário (…). Um crescimento de modo precário nos levaria novamente ao início da crise. Não queremos isso, não faremos isso”, declarou a chanceler, aplaudida pelo Bundestag.

Em seu discurso perante a câmara baixa do Parlamento, expôs a postura da Alemanha antes da cúpula do G8 nos Estados Unidos nos dias 18 e 19 de maio e ressaltou que a crise na Eurozona ocupará um lugar importante.

Considerou que a cúpula analisará “as próximas medidas” para a consolidação das finanças públicas, assim como “medidas de crescimento” atualmente examinadas na Europa. São estes “os dois pilares de nossa estratégia” de luta contra a crise, insistiu.

A chanceler considerou essencial que todos aceitem a ideia de que “a saída para a crise será um longo processo” e que é preciso atacar os problemas essenciais de alguns países europeus, “um endividamento catastrófico” e “uma falta de competitividade”, segundo ela.

Solucionar estes problemas “não será feito de um dia para o outro”, disse.

Continua após a publicidade
Publicidade