Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Crédito total acelera e cresce 1,7% em agosto, diz BC

Valor atingiu 1,88 trilhão de reais, ou 47,8% do PIB. Já a média diária de concessões de novos empréstimos teve expansão de 0,8% ante julho

Expansão de novos empréstimos foi liderada por operações para empresas.

Inadimplência no crédito livre ficou em 5,3% em agosto e chegou ao maior patamar desde janeiro do ano passado, quando registrou 5,5%.

O crédito total disponibilizado pelo sistema financeiro no Brasi (estoque) subiu 1,7% em agosto ante julho e chegou a 1,888 trilhão de reais, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira pelo Banco Central. O saldo, que inclui as linhas com recursos livres e direcionados, equivale a 47,8% do PIB. No mês anterior, essa proporção estava em 47,3% do PIB. No ano, a expansão do estoque de crédito totaliza 10,7%, sendo que, em doze meses até agosto, alcança 19,4%.

No final de agosto, o Banco Central reduziu em meio ponto porcentual a taxa básica de juros (Selic) sob a alegação de que o país teria começado a sentir os efeitos da crise internacional, citando, inclusive, condições de crédito mais restritivas. A medida foi mal recebida pelos economistas na ocasião, pois eles discordavam da avaliação pessimista do BC e alertavam para o fato de que a economia permanecia bastante aquecida – logo, baixar juros naquele momento seria o mesmo que colocar mais combustível na inflação. Os dados de crédito divulgados nesta terça-feira demonstram que, naquele mesmo mês em que juros baixaram, os empréstimos ainda seguiam a todo o vapor no país, inclusive com aumento da inadimplência.

Novos empréstimos – A média diária de concessões de novos empréstimos teve expansão de 0,8% em agosto ante julho, segundo dados do Banco Central. Com isso, o sistema financeiro emprestou uma média de 8,549 bilhões de reais em cada dia de agosto. O valor é 8,8% maior do que o registrado em agosto de 2010.

A expansão de novos empréstimos foi liderada por operações para empresas, que cresceram 2,2% em agosto. Com esta evolução, bancos realizaram média de 5,092 bilhões de reais em financiamento às companhias a cada dia do mês passado, cifra 9,4% maior que a verificada um ano antes.

Já no segmento de pessoa física, agosto teve contração de 1,1% na média diária de empréstimo ante julho e terminou com 3,457 bilhões de reais. Apesar da queda mensal, a média em agosto de 2011 foi 7,9% que a verificada em agosto do ano passado.

Juros – De acordo com o BC, o juro médio cobrado nas operações de crédito livre no país ficou estável em 39,7% em agosto. A taxa média para pessoa física, porém, aumentou de 45,7% em julho para 46,2% em agosto. Já o juro médio para pessoa jurídica recuou de 31,4% para 30,9% nesta mesma comparação.

O spread – diferença entre o custo de captação e a taxa final de empréstimo – do crédito livre chegou a 27,8 pontos porcentuais, em média, em agosto. O valor é superior aos 27,4 pontos porcentuais registrados em julho. Para pessoa física, o spread médio cresceu de 33,1 pontos porcentuais para 34,4 pontos porcentuais. Já para as empresas, o spread médio caiu de 19,3 pontos porcentuais para 19 pontos porcentuais.

Inadimplência – A inadimplência no crédito livre ficou em 5,3% em agosto e chegou ao maior patamar desde janeiro do ano passado, quando registrou 5,5%. De acordo com dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC), os atrasos superiores a 90 dias aumentaram 0,1 ponto porcentual em relação a julho, quando ficaram em 5,2%.

Para a pessoa física, a inadimplência ficou em 6,7% no mês, ante 6,6% em julho. Entre as empresas, a inadimplência aumentou 0,1 ponto porcentual nesta comparação para 3,9%.

Habitação – O BC informou também que o crédito habitacional registrou expansão de 3,7% em agosto, ante julho. Com isso, o estoque de crédito nesta modalidade chegou a R$ 180,242 bilhões. No ano, o crescimento do financiamento para habitação chega a 29,9%. No acumulado de 12 meses até agosto, o crescimento é de 49,3%.

(com Agência Estado)