Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

CPI do BNDES aprova convocação de amigo de Lula

Por Marcela Mattos 12 nov 2015, 10h46

A CPI do BNDES aprovou nesta quinta-feira a convocação do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula. Os deputados querem que o empresário dê explicações sobre as suspeitas de tráfico de influência e de favorecimento em contratos firmados pelo banco de fomento.

O requerimento para a convocação passou graças a uma articulação da oposição e a um cochilo do governo. A convocação de Bumlai vinha sendo alvo de dura obstrução de parlamentares governistas, principalmente do PT e do PMDB, que manobraram em sessões anteriores para evitar a aprovação do requerimento. Mas, nesta quinta-feira, eles falharam na estratégia e acabaram sendo derrotados: enquanto a oposição compareceu em peso, com a presença de parlamentares titulares e suplentes, os governistas tentaram esvaziar a sessão para inviabilizar a votação de requerimentos. Resultado: a audiência com Bumlai foi aprovada por 13 votos a 3.

Na semana passada, a CPI aprovou a requisição de documentos relacionados a empréstimos feitos pelo BNDES à empresa de Bumlai, uma usina em Dourados, no Mato Grosso do Sul. A usina teria recebido do banco 101,5 milhões de reais em empréstimo em 2002, após ter pedido a falência à Justiça um ano antes. Também recai sobre o pecuarista a acusação de ter recebido 2 milhões de dólares em propina paga pelo lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano. Em acordo de delação premiada, o operador do PMDB afirmou que uma nora de Lula seria o destino final do dinheiro.

“Essa foi uma das poucas vitórias que a CPI teve, porque ali está tudo blindado. O que nós estamos percebendo é que vários negócios feitos com recursos do BNDES tiveram tráfico de influência. Quando algo não poderia ser feito, se fazia de forma transversa. O Bumlai é considerado um desses intermediários de grandes negócios do ex-presidente Lula. Sem dúvida alguma, pelas indicações que nós já temos do seu envolvimento, ele foi um dos que operaram o tráfico de influência no banco”, disse o deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), autor do requerimento de convocação de Bumlai.

Leia mais:

Combate à corrupção é fraco no Brasil, diz Transparência Internacional

Continua após a publicidade

Cade investiga Petrobras por suposto abuso econômico em gás canalizado

Recurso – A convocação do pecuarista não estava na pauta da CPI desta quinta-feira. No entanto, a oposição conseguiu levar o item à votação depois de retomar a sessão anterior, encerrada durante a análise da audiência com Bumlai.

Diante da derrota, governistas, agora, trabalham para reverter a decisão do colegiado e apresentaram uma questão de ordem questionando a inclusão de Bumlai de última hora na pauta. O recurso dos deputados deve ser votado na próxima terça-feira. “Essa questão será verificada. Não vou prejudicar nem proteger ninguém”, disse o presidente da CPI, deputado Marcos Rotta (PMDB-AM). “Não entendo o motivo da blindagem de alguns nomes. Às vezes há tanta preocupaçã com algumas figuras e, quando elas vêm, não têm a repercussão que eles acham que ia ter”, continuou o deputado.

Se a audiência com Bumlai for mantida, ele deve comparecer somente no fim do mês. Para a próxima semana estão marcadas audiências com o ministro do Desenvolvimento, Armando Monteiro, e com o empresário Eike Batista. Eike, aliás, tem escapado da CPI e desmarcou a ida dele nesta semana. Caso ele não compareça novamente, a comissão pode acionar a Polícia Federal.

Continua após a publicidade
Publicidade