Clique e assine a partir de 9,90/mês

G20 diz que novo coronavírus representa risco para economia global

Infecção deve impactar crescimento em todo o mundo em 0,1 ponto percentual

Por Da Redação - Atualizado em 24 fev 2020, 15h30 - Publicado em 24 fev 2020, 15h18

Os ministros das finanças do G20 e presidentes de bancos centrais declararam que o novo coronavírus constitui risco para a economia global e concordaram em adotar políticas sobre o caso.

A reunião de dois dias, realizada na Arábia Saudita, terminou nesse domingo (24) com a divulgação de declaração conjunta. O documento faz a previsão de que o crescimento global entre 2020 e 2021 será moderado. Eles atribuem o crescimento reduzido às tensões geopolíticas e comerciais além de incertezas sobre políticas públicas regionais. O texto também menciona a epidemia do novo coronavírus, que faz vítimas em diversas localidades do mundo.

A declaração categoriza a infecção como um “risco global” e fala em ampliar o monitoramento dos casos. “Estamos preparados para adotar mais ações para lidar com esses riscos”, diz o comunicado.

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

Na mesma reunião, o Fundo Monetário Internacional (FMI) apresentou a previsão de queda de 0,1 ponto percentual do crescimento global em decorrência da infecção iniciada na região de Wuhan, na China.

Depois da reunião, Haruhiko Kuroda, presidente do Banco do Japão, disse que se preocupa com o possível impacto do coronavírus sobre a economia e mercados financeiros do país. Ele prometeu adotar todas as medidas necessárias para amenizar a situação. Alguns investidores e economistas estrangeiros manifestaram preocupação com a influência do vírus sobre o país e dizem aguardar a resposta do governo japonês ao surto.

Enquanto os delegados encerravam sua reunião, o presidente chinês Xi Jinping foi citado como tendo dito que Pequim intensificaria os ajustes políticos para ajudar a amortecer o golpe na economia causado pela enfermidade. “O surto da nova pneumonia por coronavírus terá inevitavelmente um impacto relativamente grande na economia e na sociedade”, disse Xi, acrescentando que os efeitos seriam de curto prazo e controláveis.

Continua após a publicidade

A China esteve representada na reunião do G20 por seu embaixador na Arábia Saudita, pois as autoridades de alto escalão permaneceram afastadas devido à crescente crise de saúde que assola o país. “Discutimos o surto de coronavírus na China e em outros países e todos os países do G20 concordaram coletivamente em estar prontos para intervir com as políticas necessárias”, disse o ministro das Finanças da Arábia Saudita, Mohammed al-Jadaan, em entrevista coletiva.

Coronavírus pelo mundo

Nos últimos dias, o coronavírus atingiu com mais força diversos países. Na Itália já causou sete mortes e infectou outras 220. Para conter a abrangência do vírus, escolas, museus, discotecas e outras áreas com grande fluxo de pessoas foram fechadas. No Irã, doze pessoas já morreram e outras 61 estavam infectadas até a manhã desta segunda-feira, 24. Na Coreia do Sul, as mortes chegam a 25 e há a notificação de que outras 830 estão infectadas — trata-se da maior área de abrangência do vírus depois da China, onde ocorreram as primeiras notícias de contágio.

(Com Agência Brasil e Reuters)

Publicidade