Clique e assine com até 92% de desconto

G20 diz que novo coronavírus representa risco para economia global

Infecção deve impactar crescimento em todo o mundo em 0,1 ponto percentual

Por Da Redação Atualizado em 24 fev 2020, 15h30 - Publicado em 24 fev 2020, 15h18

Os ministros das finanças do G20 e presidentes de bancos centrais declararam que o novo coronavírus constitui risco para a economia global e concordaram em adotar políticas sobre o caso.

A reunião de dois dias, realizada na Arábia Saudita, terminou nesse domingo (24) com a divulgação de declaração conjunta. O documento faz a previsão de que o crescimento global entre 2020 e 2021 será moderado. Eles atribuem o crescimento reduzido às tensões geopolíticas e comerciais além de incertezas sobre políticas públicas regionais. O texto também menciona a epidemia do novo coronavírus, que faz vítimas em diversas localidades do mundo.

A declaração categoriza a infecção como um “risco global” e fala em ampliar o monitoramento dos casos. “Estamos preparados para adotar mais ações para lidar com esses riscos”, diz o comunicado.

  •  

     

    Na mesma reunião, o Fundo Monetário Internacional (FMI) apresentou a previsão de queda de 0,1 ponto percentual do crescimento global em decorrência da infecção iniciada na região de Wuhan, na China.

    Continua após a publicidade

    Depois da reunião, Haruhiko Kuroda, presidente do Banco do Japão, disse que se preocupa com o possível impacto do coronavírus sobre a economia e mercados financeiros do país. Ele prometeu adotar todas as medidas necessárias para amenizar a situação. Alguns investidores e economistas estrangeiros manifestaram preocupação com a influência do vírus sobre o país e dizem aguardar a resposta do governo japonês ao surto.

    Enquanto os delegados encerravam sua reunião, o presidente chinês Xi Jinping foi citado como tendo dito que Pequim intensificaria os ajustes políticos para ajudar a amortecer o golpe na economia causado pela enfermidade. “O surto da nova pneumonia por coronavírus terá inevitavelmente um impacto relativamente grande na economia e na sociedade”, disse Xi, acrescentando que os efeitos seriam de curto prazo e controláveis.

    A China esteve representada na reunião do G20 por seu embaixador na Arábia Saudita, pois as autoridades de alto escalão permaneceram afastadas devido à crescente crise de saúde que assola o país. “Discutimos o surto de coronavírus na China e em outros países e todos os países do G20 concordaram coletivamente em estar prontos para intervir com as políticas necessárias”, disse o ministro das Finanças da Arábia Saudita, Mohammed al-Jadaan, em entrevista coletiva.

    Coronavírus pelo mundo

    Nos últimos dias, o coronavírus atingiu com mais força diversos países. Na Itália já causou sete mortes e infectou outras 220. Para conter a abrangência do vírus, escolas, museus, discotecas e outras áreas com grande fluxo de pessoas foram fechadas. No Irã, doze pessoas já morreram e outras 61 estavam infectadas até a manhã desta segunda-feira, 24. Na Coreia do Sul, as mortes chegam a 25 e há a notificação de que outras 830 estão infectadas — trata-se da maior área de abrangência do vírus depois da China, onde ocorreram as primeiras notícias de contágio.

    (Com Agência Brasil e Reuters)

    Continua após a publicidade
    Publicidade