Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Coronavírus: CNI projeta impacto de US$ 18,6 bi nas exportações do Brasil

Diminuição da renda na população mundial leva à redução nas vendas externas, segundo cálculos da indústria

Por Diego Gimenes Atualizado em 2 abr 2020, 17h58 - Publicado em 2 abr 2020, 17h25

A pandemia do novo coronavírus que provoca o fechamento de comércios e fronteiras de países do mundo inteiro pode impactar as exportações brasileiras em 18,6 bilhões de dólares, caso a estimativa de retração do Produto Interno Bruto (PIB) mundial seja confirmada em 1,1%. A recessão global pode reduzir ainda em 56 milhões de toneladas o número de cargas nacionais a caminho exterior. A projeção foi elaborada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

A avaliação foi feita com base em estudos de referência que mostram que quedas de renda na população mundial levam automaticamente a reduções nas exportações de produtos nacionais. Em comparação com 2019, a confederação prevê redução de 11% na quantidade de toneladas exportada pelo Brasil.

O diretor de desenvolvimento industrial da CNI, Carlos Abijaodi, projetou que os impactos podem ser ainda maiores. “A América Latina, grande destino dos nossos produtos manufaturados, poderá ter, nas próximas semanas, um aumento maior nas medidas para contenção do vírus, o que deverá afetar ainda mais as exportações de manufaturas do Brasil.”

  • O câmbio desvalorizado deverá dar um respiro para a indústria, principalmente de alimentos, bebidas, calçados, joias, móveis e vestuário, mas novas medidas de combate à pandemia e de incentivo à retomada de exportações precisam ser tomadas, segundo o diretor. “O câmbio é um elemento temporário de melhora da competitividade”, diz Abijaodi.

    Continua após a publicidade
    Publicidade