Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Copa não impulsiona turismo na América do Sul em 2014

Turismo cresceu 5%, abaixo da média de 10% que vinha sendo alcançada desde 2009

Por Da Redação 15 dez 2014, 15h44

O turismo internacional na América do Sul desacelerou em 2014 em comparação aos anos anteriores, apesar do impulso da Copa do Mundo do Brasil, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela ITB Berlim, feira anual de turismo realizada na cidade alemã.

Nos oito primeiros meses do ano, o turismo internacional na região cresceu 5%, abaixo das taxas do período 2009-2013, nas quais houve aumentos superiores a 10%, informa o documento.

Leia também:

Efeito Copa: turismo europeu e norte-americano aumentou mais de 60% no Brasil

Brasileiro repensa plano de férias por causa do câmbio

Continua após a publicidade

A razão do esfriamento, aponta o estudo, é a “insegurança econômica na América do Sul, especialmente no Brasil e Argentina”. A justificativa é que, como grande parte dos turistas estrangeiros é do próprio continente, a desaceleração econômica acaba tendo um efeito cascata. O levantamento prevê ainda um crescimento de apenas 3% do turismo internacional na América do Sul em 2015, aprofundando o arrefecimento do setor.

O texto ressalta o efeito da Copa do Mundo deste ano, em que houve aumento do turismo internacional no Brasil nos oito primeiros meses do ano de 7%, frente ao avanço de 2,5% do mesmo período do ano anterior.

Durante a Copa do Mundo de Futebol, visitaram o Brasil um total de um milhão de estrangeiros, que gastaram uma média de 2 mil dólares por viagem.

Apesar da Copa, os brasileiros continuaram viajando ao exterior, aponta o levantamento. A diferença, contudo, é que as viagens foram acomodadas para períodos que não correspondiam ao dos jogos. A expectativa para 2015 é que haja uma redução no apetite por viagem dos brasileiros devido à valorização do dólar, que se aproxima da casa de 2,70 reais.

O relatório, baseado em mais de 500 mil entrevistas individuais com turistas realizadas pela empresa de consultoria IPK International, é considerado o maior estudo anual sobre tendências turísticas.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade