Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Contas do governo têm o pior resultado para o mês de outubro desde 1997

Déficit do governo central, que reúne dados do Tesouro, Previdência Social e Banco Central, foi de 12,27 bilhões de reais

Por Da Redação 26 nov 2015, 15h41

A forte queda na arrecadação de tributos federais levou a mais um déficit primário nas contas do governo central em outubro, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelo Tesouro Nacional. No mês passado, as contas, que reúnem dados do Tesouro, Previdência Social e Banco Central, foram negativas em 12,27 bilhões de reais, o pior resultado desde 1997, quando se iniciou a série histórica. O resultado equivale a um déficit de 0,69% do PIB.

Com isso, o resultado primário dos dez primeiros meses do ano é deficitário em 33 bilhões de reais. É o pior desde o início da série histórica. Em doze meses, o superávit do governo central acumulado é de 39,1 bilhões de reais. O resultado em doze meses também é o pior da série histórica.

O resultado das receitas de outubro representou uma queda real de 11,5% em relação ao mesmo mês do ano passado e de 5,4% no acumulado do ano. As despesas, por sua vez, aumentaram 2,9% em relação a outubro do ano passado e caíram 3,3% no acumulado do ano.

Leia mais:

Investimento estrangeiro direto no país soma US$ 6,7 bi em outubro e supera estimativas

Fitch vê Brasil vulnerável a rebaixamento em 2016

As contas do Tesouro Nacional registraram um superávit primário de 7,45 bilhões de reais em outubro. Nos dez primeiros meses do ano, o superávit primário acumulado nas contas do Tesouro é de 41,48 bilhões de reais.

No INSS, as contas tiveram déficit de 19,80 bilhões de reais em outubro e de 74,06 bilhões de reais de janeiro a outubro. Já as contas do Banco Central tiveram saldo positivo de 72 milhões de reais em outubro e negativo de 522,7 milhões de reais nos dez primeiros meses do ano.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês