Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Contas do governo central têm rombo de R$ 16,42 bilhões em junho

Resultado das contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central é o segundo pior para o mês desde o início da série histórica, em 1997

O caixa do governo central, que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, registrou déficit primário de 16,422 bilhões de reais em junho. O valor negativo significa que as despesas do governo superaram as receitas com impostos e contribuições, desconsiderando gastos com juros da dívida pública. 

O resultado sucede o superávit de 11,020 bilhões de reais de maio e é o segundo pior valor para o mês desde o início da série histórica, em 1997. Em junho de 2017, o resultado havia sido negativo em 19,844 bilhões de reais.

No primeiro semestre, o resultado primário foi de déficit de 32,867 bilhões de reais, o melhor resultado desde 2015, porém o terceiro pior da série para o período. Nos seis primeiros meses do ano passado, o resultado foi negativo em 56,479 bilhões de reais.

Em 12 meses, o governo central apresenta um déficit de 103,2 bilhões de reais — equivalente a 1,5% do PIB (Produto Interno Bruto). Para este ano, a meta fiscal admite um déficit de até 159 bilhões de reais nas contas do governo central.

As contas do Tesouro Nacional — incluindo o Banco Central — registraram déficit primário de 1,909 bilhão de reais em junho. Em 2018, até o momento, o superávit primário acumulado nessas contas chega a 57,954 bilhões de reais.

As contas apenas do Banco Central tiveram déficit de 22 milhões de reais em junho e de 343 milhões de reais no acumulado do ano até o mês passado.

Já o resultado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) foi de déficit de 14,513 bilhões reais no mês passado. No primeiro semestre, o resultado foi negativo em R$ 90,821 bilhões.

Receitas

O resultado de junho representa alta real de 6,5% nas receitas em relação a igual mês do ano passado. Já as despesas tiveram aumento de 2,2%.

No acumulado do ano até junho, as receitas do governo central recuaram 0,5% ante igual período de 2017, enquanto as despesas caíram 5,3% na mesma base de comparação.

Investimentos

Os investimentos do governo federal subiram para 21,266 bilhões de reais nos primeiros seis meses de 2018. Desse total, 12,803 bilhões de reais são de restos a pagar, despesas de exercícios anteriores que foram transferidas para este ano. De janeiro a junho do ano passado, os investimentos totais haviam somado 16,927 bilhões de reais.

Os investimentos no PAC (Programa de Aceleração Econômica) somaram 1,866 bilhão de reais no mês passado, queda real de 22,7% ante junho de 2017. Já no acumulado do ano, as despesas com o PAC somaram 9,183 bilhões de reais, recuo de 13,8% ante igual período de 2017, já descontada a inflação.