Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Conta de transações correntes fica negativa em US$ 6,01 bi em julho

Nos sete primeiros meses do ano, o saldo ficou deficitário em US$ 49,330 bilhões ou 3,74% do PIB

Por Da Redação 22 ago 2014, 11h50

O resultado das transações correntes do Brasil com outros países teve mais um mês negativo em julho. De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira pelo Banco Central (BC), foi registrado déficit de 6,018 bilhões de dólares. Com isso, nos sete primeiros meses do ano, o rombo já chega a 49,330 bilhões de dólares, o que representa 3,74% do Produto Interno Bruto (PIB).

O resultado ficou dentro das previsões de analistas da Agência Estado que esperavam saldo negativo entre 5 bilhões de dólares e 6,6 bilhões de dólares. A previsão do BC para julho, apresentada no mês passado, era de um saldo negativo de 6,7 bilhões de dólares.

O que é?

A conta de transações correntes abrange a importação e a exportação de bens e serviços e as transações unilaterais do Brasil com o exterior.

No acumulado de 12 meses até julho deste ano, o saldo negativo está em 78,394 bilhões de dólares, ou 3,45% do PIB.

Leia também:

Déficit em transações correntes soma US$ 3,345 bi junho

BC muda compulsório para injetar R$ 30 bi na economia​

Continua após a publicidade

Dentre as contas que fazem parte do resultado das transações correntes, a da balança comercial ficou positiva em 1,574 bilhão de dólares em julho, enquanto a conta de serviços registrou déficit de 4,546 bilhões de dólares.

O déficit nas transações correntes foi impactado pelo elevado gasto líquido de 2,353 bilhões de dólares com aluguel de equipamentos do país no exterior, cerca de 50% a mais do que a despesa de um ano antes (1,536 bilhão de dólares).

O saldo líquido de gastos de brasileiros no exterior com viagens (1,625 bilhão de dólares) bateu recorde em julho e também ajudou a compor o rombo. No mesmo mês do ano passado, a conta foi de 1,654 bilhão de dólares e, em junho deste ano, esses gastos somaram 1,204 bilhão de dólares.

Investimentos – Os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED), por sua vez, somaram 5,898 bilhões de dólares em julho, acima dos 5,212 bilhões de dólares registrados no mesmo período de 2013.

No acumulado do ano até o mês passado, o IED somou 35,162 bilhões de dólares, o equivalente a 2,66% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, o IED acumulado era de 35,202 bilhões de dólares (2,73% o PIB). Em 12 meses até julho, ele está em 63,956 bilhões de dólares (2,82% do PIB).

Leia ainda: Para Mantega, déficit fiscal de maio não importa tanto assim

Balança comercial brasileira fica negativa em US$ 2,49 bi no 1º semestre

(Com Estadão Conteúdo e agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade