Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Conta de luz não deve voltar à bandeira vermelha em dezembro

Segundo o diretor-geral da Aneel, 'pior cenário seria manter a amarela'. Índices de chuva dentro do esperado contribuíram para a previsão

Devido aos índices de chuva no Brasil dentro da expectativa para o mês de outubro, a bandeira tarifária da conta de energia elétrica para dezembro dificilmente retornará para a bandeira vermelha, afirmou o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone. “O pior estágio seria manter a amarela.”

O sistema de bandeiras – verde, amarela, vermelha 1 e vermelha 2 – é usado para indicar o patamar tarifário da conta de luz. Exceto pela verde, na qual não há cobrança extra, a tarifa fica mais cara na vigência das demais. A medida é uma forma de compensar o acionamento das usinas termoelétricas, cuja operação é mais cara, em momentos em que os reservatórios estão em níveis baixos.

A bandeira tarifária amarela acrescenta um real na conta de luz para cada 100 kilowatts-hora consumidos. A cobrança retornou ao patamar amarelo em novembro depois de cinco meses com bandeira vermelha.

Segundo o diretor-geral do órgão regulador, é preciso aguardar ao menos 20 dias para avaliar com precisão os fatores que influenciam a definição da cor da bandeira.

De acordo com Pepitone, as chuvas estão boas, mas é preciso esperar até o fim do mês. “O cenário hídrico que estamos vivenciando hoje se apresenta favorável, mas temos que aguardar para não fazer um exercício de futurologia”, disse.

O período chuvoso reverte expectativas anteriores da Aneel, que em setembro declarou que a conta de luz continuaria com a bandeira tarifária vermelha até o fim do ano.

Chuvas

O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata, disse que até setembro as condições climáticas eram muito ruins tanto no Nordeste como no Centro-Oeste e no Sudeste. O quadro começou a mudar em outubro.

Para novembro, as expectativas dos institutos de clima apontam para boa quantidade de chuva no Rio Paranaíba, o que deve melhorar também as condições no Rio Tocantins. “Deve começar a subir também as usinas do Rio Tocantins e mais para a frente a sinalização é que os rios do Norte, Madeira e Xingu, também vão ter uma condição boa.”

Outra previsão que anima Barata é o fenômeno El Niño entre moderado e fraco. De acordo com o diretor-geral do ONS, isso é positivo, porque deve vir acompanhado de chuva na média ou pouco acima disso no Nordeste, enquanto na Região Sul a previsão é de chuva intensa.