Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Consumo de energia sobe 2,1% em abril, diz EPE

Aumento foi impulsionado por comércio e serviços, que registrou alta de 7,6% no período

O consumo de energia elétrica subiu 2,1% em abril de 2014 na comparação com igual período de 2013, passando de 38,670 mil gigawatt/hora (GW/h) para 39,472 mil GW/h. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE). “Mantendo o panorama dos últimos meses, embora com menor influência do fator temperatura, o aumento do consumo foi impulsionado, principalmente, pela dinâmica do setor de comércio e serviços”, informou a EPE, em nota. No acumulado do doze meses, a alta foi de 4,3%, para 471,183 mil GW/h.

Apesar do crescimento, o segmento industrial registrou queda na demanda. O consumo de energia caiu 2,8% em abril ante o mesmo período do ano anterior, em “reflexo da baixa atividade de setores eletrointensivos e do efeito de menos dias úteis no mês”, informou a EPE. “Os principais efeitos negativos sobre o consumo continuam vindo dos segmentos de metalurgia, especialmente alumínio, dos setores químico e automotivo”, acrescentou.

Leia também:

Lobão rebate analistas e nega risco de racionamento de energia

Falta de luz rendeu R$ 346 milhões aos consumidores em 2013

‘Racionômetro’ vê corte de energia em setembro

O consumo de energia da indústria passou de 15,585 mil GW/h para 15,154 mil GW/h. Seguiram a tendência de queda as regiões Sudeste e Nordeste, com retrações de 4,2% e 7,9% respectivamente. O consumo residencial, por sua vez, subiu 4,6%, de 10,301 mil GW/h para 10,776 mil GW/h, influenciado tanto pelo aumento da base de consumidores quanto pelo consumo individual. A expansão da demanda residencial foi impulsionada pela elevação de 13% na região Centro-Oeste. “A dinâmica de consumo de energia nas residências dessa região reflete expansão da base de consumidores (+4,7%), acima da média nacional”, frisou a EPE. O consumo também avançou no Norte (9,9%), Sul (9,5%), Nordeste (1,6%) e Sudeste (2,6%).

O consumo de energia da classe comercial também cresceu 7,6% no período, de 7,050 mil GW/h para 7,586 mil GW/h. Segundo a EPE, esse aumento reflete “a entrada nos últimos 12 meses de novas unidades comerciais, em especial shopping centers, supermercados e hotéis”. Entretanto, a EPE ressaltou que “os registros do consumo de energia ainda não refletem as estatísticas mais recentes do IBGE para a atividade econômica do setor, que sugerem arrefecimento no ritmo de entrada de novas unidades comerciais”. O consumo de energia pelo comércio registrou as maiores altas nas regiões Sul (10,7%) e Sudeste (8,2%).

Leia ainda:

Eólicas têm 88% de projetos inscritos para leilão de energia

Energia hidráulica terá menor peso na matriz energética até 2018, segundo ONS

A EPE ainda divulgou o consumo de energia entre os consumidores cativos e livres. O mercado cativo avançou 4,5%, para 29,2 mil GW/h, em abril de 2014 ante igual período do ano anterior. No acumulado de doze meses, a alta foi de 4,7%. Já a demanda por energia no mercado livre caiu 4,2%, para 10,3 mil GW/h. Em doze meses, a expansão verificada foi de 3,1%, para 126,1 mil GW/h.

(com Estadão Conteúdo)