Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Conselheiros independentes da Telecom Italia se opõem à venda de ativos

Segundo representante de membros do Conselho, apenas alguns acionistas se beneficiariam do controle completo da Telefónica sobre a Telecom Italia

Membros independentes do conselho de administração da Telecom Italia manifestaram nesta quarta-feira oposição à possibilidade da Telefónica forçar a companhia italiana a vender ativos que são importantes para a reestruturação da empresa. Em comunicado, o líder do grupo, Luigi Zingales, afirmou que o acordo anunciado na terça-feira poderá dar à Telefónica controle completo sobre a Telecom Italia, o que traria benefícios apenas para alguns acionistas da empresa. Zingales falou em nome dos cinco membros independentes do conselho da Telecom Italia.

Leia mais:

Brasil pautou o acordo entre Telefónica e Telco, diz FT

Proteste cobra explicação do Cade e da Anatel sobre Telefónica e TIM

Ainda nesta quarta, o presidente do conselho da Telecom Italia, Franco Bernabè, afirmou que a empresa precisa levantar capital com investidores – novos ou já existentes – para reduzir sua dívida de 29 bilhões de euros (39 bilhões de dólares) e evitar que sua classificação de crédito seja cortada para “junk” (grau especulativo).

Ele não entrou em detalhes sobre quanto deveria ser levantado, mas um fonte afirmou à agência Reuters que seria necessário captar em torno de 3 a 5 bilhões de euros. Bernabè fez os comentários no Parlamento da Itália, um dia após a Telefónica ter anunciado um acordo ousado para aumentar gradualmente sua participação na Telecom Italia.

Leia também:

Cade advertiu Telefónica sobre compra de fatia na TIM

Telefónica torna-se sócia majoritária da controladora da TIM

Por também estar com alto endividamento – de cerca de 50 bilhões de euros – a Telefónica, acreditam analistas, é mais inclinada a apoiar a venda de ativos da Telecom Italia. A venda de partes ou de toda a operação da empresa italiana no Brasil, onde é dona da TIM Participações, poderia ser uma opção para levantar dinheiro, segundo analistas. No país, a TIM concorre diretamente com a Vivo, controlada pela Telefônica (BR).

A Telecom Italia vai realizar a sua próxima reunião do conselho em 3 de outubro.

(com agência Reuters)