Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Confiança do consumidor registra queda em outubro

O desempenho do Índice de Confiança do Consumidor, da FGV, manteve-se abaixo da média dos últimos 60 meses

Por Da Redação 23 out 2013, 10h16

A confiança do consumidor caiu 2,2% no mês de outubro, após registrar alta de 1% em setembro. O resultado foi divulgado nesta quarta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV). “Em outubro houve acomodação dos indicadores que medem a percepção sobre a situação atual e diminuição do otimismo em relação aos meses seguintes”, disse a FGV, em nota oficial.

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), já com ajuste sazonal, ficou em 111,7 pontos no décimo mês do ano, mantendo-se abaixo da média dos últimos 60 meses (114,9 pontos) pela oitava vez consecutiva.

O índice é calculado dentro de uma escala de pontuação de até 200 pontos (quanto mais próximo de 200, maior o nível de confiança do consumidor). Ele é dividido em dois indicadores – o Índice de Situação Atual (ISA) e o Índice de Expectativa (IE). O ISA mostrou queda de 0,6%, ao passar de 121,3 para 120,6 pontos. No mês anterior, ele havia subido 3,5%. Já o IE caiu 3,0%, de 110,8 para 107,5 pontos. Em setembro, ele havia avançado 0,4%.

Leia ainda: Confiança do consumidor é a maior desde fevereiro

Após dois meses de altas na confiança, os consumidores mostraram agora perspectivas menos favoráveis em relação à economia no momento atual. O indicador que mede a satisfação com a economia local caiu 2,6%, para 81,0 pontos. Entre setembro e outubro, a proporção de consumidores que avaliam a atual situação da economia como boa diminuiu de 17,3% para 16,2%, enquanto a dos que a julgam ruim subiu de 34,1% para 35,2%.

Com relação aos seis meses seguintes, houve piora no otimismo em relação às finanças pessoais. O indicador cedeu 2,3%, ao passar de 136,0 pontos para 132,9 pontos, o menor desde janeiro de 2012 (129,7 pontos). A parcela de consumidores que projetam melhora da situação financeira familiar diminuiu de 39,8% para 37,2%, enquanto a dos que preveem piora aumentou de 3,8% para 4,3%.

Leia também:

Após três meses de queda, confiança do consumidor sobe em agosto

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)