Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Confiança do comércio cai 10,3% no trimestre encerrado em outubro

Contudo, dados da Fundação Getulio Vargas (FGV) também mostraram que confiança do setor de serviços subiu 1,2% em comparação a setembro e outubro, a primeira alta do ano para o indicador

Por Da Redação 27 out 2014, 10h56

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) caiu 10,3% no trimestre encerrado em outubro na comparação com igual período do ano passado, informou nesta segunda-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV). O indicador ficou em 112,5 pontos sobre 125,5 pontos um ano antes. No trimestre encerrado em setembro, a queda havia sido menos intensa de 8,7%.

“A confiança do Comércio continua baixa em termos históricos e não sinaliza muita empolgação do setor com as vendas de final de ano. Considerando os dois horizontes temporais da pesquisa, a percepção sobre o nível atual de demanda evoluiu de forma ligeiramente favorável no mês, mas as expectativas ainda não apresentam evidências de melhora”, disse em nota o superintendente adjunto de Ciclos Econômicos da FGV, Aloisio Campelo.

O Índice da Situação Atual (ISA-COM) caiu 15,9% entre agosto e outubro, a mesma retração observada em setembro. Na média dos três últimos meses, 10,3% das empresas consultadas avaliaram o nível atual de demanda como forte (contra 16,3% um ano antes) e 29,0% avaliaram o nível atual da demanda como fraca (contra 19,5% um ano antes). Já o Índice de Expectativa (IE-COM) recuou 6,8%. Em setembro, a queda havia sido de 4,2%. A coleta de dados foi realizada entre os dias 01 e 23 de outubro, com base em informações de 1.146 empresas.

Leia também:

Mercado espera manutenção da Selic em 11% nesta semana

Continua após a publicidade

De Dilma para Dilma: uma herança que pode se tornar uma bomba

Ipea contradiz governo e admite recessão técnica do Brasil

Serviços – O Índice de Confiança de Serviços (ICS) subiu 1,2% entre setembro e outubro, em sua primeira alta este ano. O indicador aumentou de 100,7 pontos para 101,9 pontos, mas manteve-se abaixo da média histórica de 122,3 pontos. O resultado foi determinado pelas expectativas, já que a percepção sobre a situação atual segue em deterioração. O Índice de Situação Atual (ISA-S) teve queda de 3,3% em outubro, para 79,3 pontos, depois de recuo de 6,2% em setembro. Já o Índice de Expectativas (IE-S) subiu 4,4% em outubro, para 124,6 pontos, após queda de 1,0% na mesma base de comparação.

“Em que pese a elevação do índice de confiança em outubro, o quadro geral dos indicadores mostra uma percepção ainda desfavorável do setor. Se, por um lado, as expectativas melhoraram um pouco em outubro de forma disseminada, por outro, a visão das empresas sobre o presente continua piorando, com o Índice da Situação Atual alcançando o menor nível da série histórica iniciada em junho de 2008”, disse em nota a instituição. A coleta de dados foi realizada entre os dias 02 e 23 de outubro, com base em informações de 2.089 empresas.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade