Clique e assine a partir de 8,90/mês

Confiança da indústria atinge o menor nível da história, diz FGV

Índice de Confiança da Indústria ficou em 68,1 pontos em junho, queda de 4,9% sobre maio. Confiança do setor de serviços também caiu neste mês

Por Da Redação - 30 jun 2015, 09h57

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) caiu 4,9% em junho ante maio, passando de 71,6 para 68,1 pontos, informou nesta terça-feira, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Na comparação com junho de 2014, a queda foi de 22,0%. Com o resultado, o indicador atinge o menor nível da série histórica. No segundo trimestre de 2015, o índice médio ficou 13,0% abaixo do registrado em igual período do ano passado, aprofundando o recuo de 3,2% registrado nos três primeiros meses do ano em igual base comparativa.

“O resultado da pesquisa sinaliza que, entre março e junho, a indústria de transformação enfrentou mais um trimestre de queda da produção e de margens de lucro comprimidas. Embora os indicadores que retratam a situação presente dos negócios estejam caindo mais fortemente em junho, chama atenção a piora das expectativas, levando a um elevado grau de pessimismo em relação ao horizonte de três a seis meses”, afirma Aloisio Campelo Jr., Superintendente Adjunto para Ciclos Econômicos da FGV/IBRE.

A queda do ICI na margem se deve à piora das avaliações dos empresários tanto sobre o presente quanto sobre o futuro. O Índice da Situação Atual (ISA) caiu 5,6%, para 70,4 pontos, o menor da série mensal, iniciada em outubro de 2005. Já o Índice de Expectativas (IE) recuou 4,2% para 65,8, pontos, o menor da série histórica.

Leia mais:

Confiança do setor de Serviços cai 1,6% em maio

Continua após a publicidade

Setor de serviços cresce em março, mas não salva trimestre

Com comércio fraco, Serviços tem o pior resultado da história

Seviços – Em junho, o Índice de Confiança de Serviços (ICS) caiu 4,5%, influenciado principalmente pelo recuo de 8,0% no Índice de Situação Atual (ISA). O Índice de Expectativas (IE) também registrou resultado negativo, com queda de 2,4% sobre o mês anterior.

A proporção de empresários do setor de serviços que avaliam o ambiente de negócios como ruim superou os 50% em junho, segundo a FGV. A percepção sobre a demanda também piorou neste mês, e as expectativas foram na mesma direção. Praticamente um a cada cinco empresários espera deterioração no ambiente de negócios nos próximos seis meses.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade