Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Concessões do novo pacote atrairão empresas

Para a Alstom, o 'filé mignon' do pacote ferroviário será projeto do trem bala

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Paulo Safady Simão, avaliou nesta quarta-feira que não deverá faltar interesse por parte da iniciativa privada nos projetos de rodovias e ferrovias que a presidente Dilma anunciou nesta quarta-feira dentro do novo pacote do governo. Segundo ele, construtoras já têm experiência na administração de estradas e devem se apresentar prontamente para concorrer a essas concessões.

“O setor espera que o governo tenha aprendido com erros do passado e feito correções no modelo que será apresentado hoje”, disse o executivo. Para ele, os trechos de ferrovias cujas concessões têm sido ou serão devolvidas pelos atuais concessionários devem ser relicitados por meio de Parcerias Público-Privadas (PPPs).

Leia também

Com PAC das Concessões, Dilma retoma as privatizações

Governo quer resgatar ferrovia como opção logística

‘Filé mignon’ – Marcos Cardoso Costa, novo presidente da Alstom no Brasil, afirmou que, com o novo pacote de concessões e os eventos esportivos (Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016), o setor de transportes e logística se tornou estratégico para as empresas que atuam no Brasil.

Para a empresa, o ‘filé mignon’ no setor ferroviário será mesmo o Trem de Alta Velocidade (TAV), um dos principais projetos do pacote de concessão da presidente Dilma Rousseff. O projeto do trem bala prevê a ligação das cidades de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro.

Apesar do foco no setor de transportes, a Alstom não pretende descuidar da área de geração de energia – responsável por 60% do crescimento dos últimos três anos da unidade brasileira. A fábrica de montagem de aerogeradores de Camaçari, na Bahia, poderá dobrar a capacidade, para 600 megawatts (MW).

(Com Agência Estado)