Clique e assine a partir de 9,90/mês

Conab vai socorrer criadores de aves e suínos com a venda de ração

Companhia vai comercializar milho dos estoques do governo federal aos criadores e às indústrias de processamento de ração animal por um período de 30 dias

Por Redação - Atualizado em 30 maio 2018, 19h37 - Publicado em 30 maio 2018, 18h57

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vai vender o milho dos estoques do governo federal aos criadores de aves e suínos e às indústrias de processamento de ração animal em todo o país, por um período de 30 dias, pelo Programa de Vendas em Balcão.

A Medida Provisória 835 estabelece o limite de 500 toneladas diárias por pessoa e o preço do produto é o que vem sendo adotado pela Conab, levando-se em conta os aspectos de mercado. De caráter emergencial, a medida tem como objetivo socorrer o setor de criação animal no suprimento do produto que está em falta, gerada pela dificuldade de acesso em diversas partes do país como reflexo da greve dos caminhoneiros.

Sem ração, cerca de 70 milhões de aves já morreram em todo o país. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse que setor avícola  precisará sacrificar 24 milhões de aves por dia a partir desta quinta-feira se os fornecedores não conseguirem levar ração às granjas em razão dos protestos.

O Programa de Vendas em Balcão tem como meta disponibilizar estoques públicos do governo federal a pequenos criadores e agroindústrias de pequeno porte através da venda direta.

Continua após a publicidade

Para comprar o milho, é necessário que o adquirente faça registro prévio no Cadastro Técnico do Programa. Com o cadastramento feito, o interessado deve comparecer a uma unidade da companhia nos estados, levando cópia do RG e do CPF/CNPJ, além da documentação que comprove a atividade econômica desenvolvida.

No entanto, em virtude do impacto da greve dos caminhoneiros, o programa foi estendido para produtores de maior porte.

 

Publicidade