Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Comissão Europeia quer solução decisiva para Grécia

Por Da Redação 12 out 2011, 12h38

Por Gabriel Bueno

Bruxelas – O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, afirmou que é preciso haver uma solução decisiva para a Grécia. Falando hoje no Parlamento Europeu, a autoridade disse também que a região “precisa urgentemente fortalecer os bancos”.

Barroso afirmou que os governos da União Europeia (UE), o Banco Central Europeu (BCE) e a Comissão Europeia precisam coordenar seus esforços para recapitalizar os bancos, através de injeções privadas e estatais, fornecendo total transparência sobre a exposição à dívida soberana de todos os bancos importantes para o sistema e introduzindo temporariamente maiores requerimentos de capital.

Os bancos com pouco capital, após a aprovação dessas normas, devem ser impedidos pelos reguladores de pagar dividendos ou bônus a seus empregados, disse Barroso. Ele levará essas propostas à reunião do dia 23 de ministros das Finanças da UE, que também estudam recapitalizar os bancos para ajudar a diminuir os temores sobre a capacidade dos bancos de suportar a crise da dívida na zona do euro.

Barroso não deu número sobre quanto de capital as instituições financeiras deveriam reter, em relação a seus ativos. Mas notou que a velocidade da ação da UE não pode ficar dependendo das nações mais lentas para tomar as decisões. Atualmente, a Eslováquia é o único país que não aprovou a expansão da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, em inglês).

A autoridade também pediu que o Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, na sigla em inglês), um fundo permanente de ajuda da UE, entre em vigor já em meados de 2012, um ano antes do previsto. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Continua após a publicidade

Publicidade