Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Comércio eletrônico cresceu 20% e movimentou R$ 22,5 bi em 2012

De acordo com pesquisa do e-bit, o Natal foi mais uma vez a principal data do varejo e o conceito de Black Friday, ocorrido em novembro, passou por consolidação

O varejo on-line registrou faturamento de 22,5 bilhões de reais no ano passado, crescimento nominal de 20% em relação a 2011 de acordo com a pesquisa WebShoppers do e-bit em parceria com o Buscapé. Os dados ficaram dentro da estimativa divulgada no começo de 2012.

De acordo com Pedro Guasti, diretor geral do e-bit, a evolução foi impulsionada, principalmente, por ações promocionais das lojas virtuais e aumento das vendas de produtos de maior valor agregado no segundo semestre de 2012. “Além de ter recuperado o fôlego, contido no primeiro semestre de 2012 em função da dificuldade do governo em estimular a economia, a segunda metade do ano conseguiu equilibrar a balança com incremento de vendas de produtos de maior valor, como smartphones, tablets e notebooks”, observa.

O ticket médio no segundo semestre foi de 346 reais ante uma média de 338 reais nos primeiros seis meses do ano passado. Segundo Guasti, outro fator histórico que colaborou para a alta no faturamento foi o maior número de datas sazonais do segundo semestre e o peso do Natal. “Além de contar com o Dia dos Pais e o Dia das Crianças, no final do ano, o Natal veio novamente como a data sazonal mais acentuada e que contribuiu com maior volume de vendas, totalizando 3,06 bilhões de reais”, revelou.

Leia também:

Procon recomenda evitar 200 sites de compras

Natal da Sephora é marcado por ‘apagão’ nas entregas

Guasti também avalia que a Black Friday, tradicional dia de desconto nos Estados Unidos cujo conceito foi trazido para o Brasil, se consolidou no país como uma nova data sazonal e rendeu números recordes na reta final do ano. No dia 23 de novembro, foram faturados 243,8 milhões de reais em bens de consumo nas vendas on-line em apenas 24 horas, a despeito de todos os problemas que os consumidores enfrentaram. Um valor 143,8% maior do que em 2011, quando os ganhos somaram 100 milhões de reais.

Ao longo de 2012, foram realizados 66,7 milhões de pedidos, um volume 24,2% maior do que o registrado no ano anterior. O varejo on-line atingiu 10,3 milhões de novos entrantes. Com isso, já são mais de 42,2 milhões de pessoas que fizeram, ao menos, uma compra via internet até hoje no Brasil, conforme levantamento do e-bit.

Compras coletivas – Ainda segundo a pesquisa, as vendas em sites de compras coletivas somaram 1,65 bilhão de reais em 2012, crescimento nominal de 8% em relação a 2011. O número de ofertas adquiridas avançou 30%, totalizando 25,3 milhões de pedidos no ano passado. No entanto, o ticket médio teve uma queda de 17% entre 2011 e 2012, passando para 65,40 reais.

Segundo Pedro Guasti, a queda pode ser explicada com o aumento na venda de ofertas de Bares e Restaurantes, que possuem ticket médio inferior a outras categorias do setor, como Turismo e Viagens.

Leia ainda: Sites de vendas burlam a Receita e podem prejudicar consumidores

(com Estadão Conteúdo)