Clique e assine a partir de 9,90/mês

Com seca nos EUA, preço do milho bate recorde

Contrato da safra nova atingiu o pico de 8,2975 dólares por bushel

Por Da Redação - 9 ago 2012, 21h18

Os contratos futuros do milho na bolsa de Chicago (CBOT) atingiram nesta quinta-feira o valor mais alto de todos os tempos à espera da divulgação do relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) nesta sexta, que deve cortar as previsões para as safras norte-americanas.

O contrato da safra nova, com base em dezembro, atingiu o pico de 8,2975 dólares por bushel – o maior valor para a commodity já registrado na CBOT e acima do recorde anterior, de 8,2875 dólares por bushel, testado três semanas atrás pela posição de setembro.

A pior seca vista em mais de meio século na região produtora de milho dos EUA deve reduzir a safra daquele país ao menor patamar em cinco anos. Analistas também esperam que o USDA reduza a estimativa para os estoques de milho ao menor nível em dezessete anos. Eles apontam que as produtividades iniciais estão ruins nos poucos campos colhidos em áreas do Meio-Oeste, que representa 75% da área com milho e soja nos Estados Unidos.

“As pessoas estão colocando prêmio de risco antes do relatório amanhã. Produtividades iniciais estão deixando (participantes) vendidos muito nervosos. Há um lote com produtividades registradas abaixo de 100 bushels – e isso deixa os participantes mais preocupados”, disse Dan Cekander, analista para Newedge USA.

Continua após a publicidade

Uma pesquisa da Reuters com 21 analistas estima a produtividade do milho em 127 bushels por acre, no menor nível desde 1997, com a produção na mínima de seis anos.

O relatório de agosto do USDA, que sai nesta sexta-feira às 9h30, ganhou grande importância porque será baseado em pesquisas com produtores e inspeções nos campos pela primeira vez desde que a seca começou a puxar os preços em meados de junho.

(com agência Reuters)

Publicidade