Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Com queda no faturamento, Love Story pede recuperação judicial

Com movimento menor, a Love Story cortou funcionários, passando de 70 para 40 colaboradores

Por Redação Atualizado em 7 ago 2018, 20h18 - Publicado em 7 ago 2018, 19h26

A crise econômica afetou em cheio o desempenho financeiro da boate Love Story, localizada há 18 anos na rua Araújo, região central de São Paulo. Antes desse endereço, a ‘casa das casas’, como é conhecida, funcionou por oito anos na rua Major Sertório.

Com dívidas de 1,7 milhão de reais, a boate entrou com pedido de recuperação judicial. O advogado Marcelo Hajaj Merlino diz que a crise foi motivada pela queda no faturamento da casa. “Ela faturava cerca de 4,5 milhões de reais por ano e fechou 2017 com uma receita de 3 milhões de reais”, disse ele.

A crise trouxe outros reflexos, como a redução no número médio de clientes, que caiu de 500 para 250 por noite. Com movimento menor, a Love Story cortou funcionários, passando de 70 para 40 colaboradores. O corte, entretanto, aumentou o passivo trabalhista da boate.

“Muitos demitidos entraram com ações na Justiça para reivindicar a cobrança de horas extras ou da incorporação de gorjetas à remuneração”, afirma Hajaj, sócio do Merlino Advogados.

Uma vez aprovado o pedido, a empresa entra em recuperação e tem 60 dias para apresentar um plano aos credores. Hajaj afirma que a boate quer se revitalizar para aumentar o faturamento. “O perfil do jovem vem mudando, não gosta tanto de sair de casa e ir para a boate, prefere as redes sociais. Tudo isso interfere. O setor de entretenimento vem sofrendo muito.”

Interior da boate Love Story em São Paulo Julia Rodrigues/VIP/Dedoc
Continua após a publicidade

Publicidade