Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Com prejuízo recorde de R$ 2 bi, Gol suspenderá voos para EUA em 2016

Retirada dos voos para o mercado americano faz parte de uma série de medidas adotadas pela empresa para tentar recuperar sua rentabilidade

Por Da Redação 13 nov 2015, 10h43

A Gol deixará de fazer voos regulares para os Estados Unidos a partir de fevereiro de 2016. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, pela companhia, que divulgou prejuízo líquido de 2,13 bilhões de reais no terceiro trimestre do ano, o maior já registrado em um trimestre fiscal pela aérea, de acordo com dados da Economatica. A retirada dos voos para o mercado americano faz parte de uma série de medidas adotadas pela empresa para tentar recuperar sua rentabilidade.

Atualmente, a Gol opera 14 frequências semanais para Miami e Orlando, com escala no Caribe. Essas operações serão sazonais a partir de 19 de fevereiro. “Eles não serão mais voos diários regulares. Vamos oferecer essas rotas nos meses em que há mais demanda turística”, explicou o presidente da Gol, Paulo Kakinoff. Na prática, as rotas para os Estados Unidos vão funcionar como voos extras para a alta temporada, que poderão ser abertos (ou não) para atender demandas de curto prazo.

Kakinoff disse que a empresa continuará voando para o Caribe, mas a oferta deverá ser reduzida pela retirada dos voos para os EUA. A companhia confirmou na quinta que voará para Cuba em 2016, ainda sem data definida, e anunciou que pretende ampliar as frequências para a Argentina, especialmente a partir das capitais do Nordeste. “A mudança de cenário econômico exige respostas mais rápidas na nossa oferta de destinos”, explicou.

Com o rearranjo da malha, a companhia área reduzirá entre 7% e 8% sua oferta de passagens aéreas nos voos internacionais no quarto trimestre deste ano. A empresa também cortará frequências nos voos domésticos, sem deixar de operar em nenhuma cidade. Ao todo, a empresa promoverá uma redução de 5% a 7% na oferta nacional entre outubro e dezembro.

Leia também:

No Congresso, aéreas atuam para reduzir direitos de passageiros

Continua após a publicidade

Brasil corta voos e fica na lanterna da América Latina

Histórico – A Gol começou a voar regularmente aos Estados Unidos no segundo semestre de 2012. De lá para cá, diversas companhias ampliaram a oferta na mesma rota. A Azul, por exemplo, voa para Miami e Orlando de Campinas desde dezembro de 2014, mas adiou planos de expansão para os EUA. Voos para Orlando saindo de Guarulhos e o lançamento de voos para Nova York estão na geladeira.

Já a American Airlines, que oferece 98 voos semanais a partir de dez cidades brasileiras, deixará de voar com regularidade para Curitiba e Campinas em fevereiro. A empresa diz que a decisão é fruto de estudos sobre o desempenho do mercado.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)