Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Com pré-sal, produção da Petrobras sobe em março

Estatal produziu 2,6% a mais na comparação anual, após as bacias de Santos e de Campos encerrarem o mês com extração recorde

Por Da Redação 2 Maio 2014, 14h42

A produção da Petrobras no Brasil e exterior somou 2,55 milhões de barris/dia de óleo e gás equivalente (bpd) em março, alta de 0,63% ante fevereiro e de 2,6% na comparação com igual período do ano anterior, informou a empresa nesta sexta-feira. A entrada de novos poços no pré-sal, cuja extração teve novo recorde, mais do que compensou as paradas para manutenção registradas em unidades no Brasil, indicou a estatal, que reafirmou a previsão de elevar a produção em 7,5% em 2014 ante 2013.

A produção da Petrobras no Brasil em março somou 2,331 milhões de barris/dia de óleo equivalente, 0,2% acima do volume de fevereiro. Já a produção exclusiva de petróleo da Petrobras no país, que responde pela maior parte do total produzido pela empresa, atingiu 1,926 milhão de barris/dia em março, aumento de 0,1% ante fevereiro e de 4,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando a empresa registrou o menor volume mensal de 2013, devido a paradas para manutenção de plataformas.

Em março de 2014, tais paradas temporárias voltaram a ocorrer em outras plataformas, mas o recorde de produção no pré-sal permitiu o aumento da extração no país. “Ainda no mês de março a produção não foi maior devido às paradas de produção temporárias planejadas das seguintes unidades: FPSO Cidade de Angra dos Reis (Bacia de Santos), plataforma P-8 (Bacia de Campos), plataforma P-35 (Bacia de Campos), e FPSO Vitória (Bacia de Campos)”, disse a estatal.

A empresa informou ainda que a plataforma P-20 permaneceu em manutenção durante o mês de março, já tendo, no entanto, retomado sua operação no último dia 7 de abril. A P-20 tem potencial de produção de cerca de 20 mil barris de petróleo/dia, no Campo de Marlim, na Bacia de Campos. A estatal relatou também que, no dia 30 de março, após onze anos de atividade, o FPSO Brasil encerrou suas atividades, no campo de Roncador com o fechamento do poço 7-RO-14-RJS. “Com o fim de sua operação, os poços interligados ao FPSO serão remanejados para a P-52 e a P-54.”

Leia também:

Petrobras é campeã mundial – de queda em ações na bolsa

O outro esqueleto da Petrobras em Pasadena

Mau, não. Péssimo negócio

Recorde no pré-sal – Em março, a produção média mensal de petróleo dos campos localizados na província do pré-sal, nas bacias de Santos e Campos, atingiu recorde de 395 mil barris de óleo equivalente, 2,4% acima da melhor marca anterior de 385 mil bpd, registrada em fevereiro.

Continua após a publicidade

“Contribuiu para esse recorde a produção do primeiro poço interligado a uma boia de sustentação de riser (BSR), no campo de Sapinhoá, iniciada em fevereiro. Esse poço vem apresentando desempenho acima da média e mantém-se como o melhor poço produtor do país, com aproximadamente 36 mil bpd”, disse a Petrobras. “O segundo poço desta BSR já foi interligado no início de abril e está produzindo 31 mil bpd”, acrescentou.

Segundo a estatal, já foram concluídas as instalações de outras duas boias de sustentação de riser no campo e, ainda no primeiro semestre, será a concluída a instalação da última BSR. “Tais instalações irão possibilitar a continuidade do crescimento da produção no pré-sal, com a interligação de sete novos poços produtores nos FPSOs Cidade de São Paulo e Cidade de Paraty. Com isso, a capacidade máxima de produção e processamento dessas unidades será alcançada até o terceiro trimestre de 2014”, afirmou.

A empresa informou ainda que, no curto prazo, começarão a produzir, no pós-sal da Bacia de Campos, as plataformas P- 62, no campo de Roncador, com capacidade de 180 mil bpd, e a P-61, no campo de Papa-Terra, que será interligada à plataforma semissubmersível SS-88, que já está no Brasil. “Com a entrada dessas unidades, a produção de petróleo terá crescimento sustentável, durante 2014, de 7,5%, conforme previsto no Plano de Negócios e Gestão 2014-2018, podendo variar 1% para mais ou para menos, ao longo do ano.”

Leia ainda:

Em dois anos sob gestão da Petrobras, Pasadena perdeu US$ 300 mi

Diretores da Astra viraram acionistas de Pasadena – sem pagar nada por isso

Belgas queriam desfazer negócio com a Petrobras já em 2006

Produção no exterior – A extração total de petróleo e gás natural no exterior em março foi de 219.586 boed, aumento de 6,2% ante os 206.712 boed produzidos no mês anterior. A produção exclusiva de petróleo foi de 126.921 barris/dia, alta de 10,1% na comparação com fevereiro, apesar da queda sobre um ano antes, quando foram produzidos 147,9 mil barris/dia.

Já a extração total de petróleo e gás natural no exterior em março foi de 219.586 boed, aumento de 6,2% ante os 206.712 boed produzidos no mês anterior. A produção exclusiva de petróleo, por sua vez, foi de 126.921 barris/dia, alta de 10,1% na comparação com fevereiro, apesar da sobre um ano antes, quando foram produzidos147,9 mil barris/dia.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade