Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com aeroportos e aviões saturados, Infraero tenta fazer passageiro andar mais rápido

Cartilha com informações básicas e filme para explicar procedimentos no raio-x estão entre as ações para acelerar embarque e desembarque

Com aeroportos saturados e aeronaves lotadas, empresas e órgãos ligados à aviação comercial vão tentar acelerar uma outra ponta do ‘sistema’: o passageiro. Uma série de campanhas informativas e ações nos aeroportos visam a dar agilidade aos procedimentos de embarque e desembarque, para evitar que passageiros ‘inexperientes’ – dada a popularização das passagens aéreas – emperrem as filas. A Infraero estima em 20% o aumento na movimentação de passageiros durante a alta temporada. Historicamente, em dezembro, o número de passageiros supera em cerca de 11% o mesmo período do ano anterior. A previsão da Anac é que, em dezembro desse ano, ocorram cerca de 14 milhões de operações de embarque e desembarque, e boa parte delas com estreantes: segundo o instituto Datapopular, mais de 8 milhões de brasileiros terão viajado pela primeira vez de avião em 2010.

Como os principais aeroportos brasileiros operando acima de suas capacidades, evitar a lentidão ‘passageiro por passageiro’ é o que resta para dar vazão a este aumento de demanda. Um estudo divulgado em maio deste ano pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) identificou que 10 dos mais importantes aeroportos brasileiros operam acima do limite para o qual foram projetados. Guarulhos, por exemplo, tem 65 pedidos de pousos e decolagens por hora, mas tem capacidade para apenas 53 movimentações. Em Brasília, são 45 pedidos para uma capacidade de 36 poucos e decolagens.

A Infraero aprimorou o conteúdo da campanha ‘Fique por Dentro’, criada em 2009. Uma das novidades deste ano é a exibição de um filme com esclarecimentos sobre a passagem de bagagens de mão pelo raio-x das salas de embarque. O material será permanentemente exibido em totens com monitores de LCD instalados na área de inspeção. Inicialmente, só Rio, São Paulo e Brasília terão os vídeos.

A campanha também conta com a distribuição de uma cartilha – o Guia do Passageiro – com explicações simples, como a obrigatoriedade de passagem pelos detectores de metais, restrição de acesso às salas de embarque e documentos para check-in.

Para as empresas, apelar para o marketing – seja o informativo ou o estratégico – é vital. Quando a coisa vai mal nos aeroportos, os danos à imagem das companhias é. A crise causada pela TAM, em 2006, os cancelamentos de voo da Gol, este ano, são bons exemplos de como uma marca pode ser afetada pela crise que, em última análise, não é só de responsabilidade do transportador.

A estratégia, este ano, é chegar ao passageiro insatisfeito antes que ele chegue ao horário nobre da TV. Juizados especiais, ouvidoria, balcões de informações e reforço nas equipes de atendimento ao público em dezembro estão na pauta da Infraero e das seis maiores empresas do setor.