Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Colheita de milho e tempo favorável à 2a safra pressionam preços

Por Da Redação 30 abr 2012, 16h38

SÃO PAULO, 30 Abr (Reuters) – As boas condições da safra de inverno do milho do Brasil, com a estimativa de um aumento da produção, e a entrada do produto da safra de verão no mercado estão pressionando os preços da commodity no mercado doméstico, segundo relatório da consultoria Céleres, divulgado nesta segunda-feira.

O fraco desempenho das exportações do Brasil também colabora para que as cotações do grão no país fiquem pressionadas, de acordo com a consultoria.

Os preços registraram queda média de 1,8 por cento na semana passada, considerando as principais praças de negociação, segundo a Céleres. Na variação mensal, os preços recuaram 9,1 por cento em média.

A safra de milho 2011/12 do Brasil está estimada em um recorde de 60,7 milhões de toneladas, alta de 13 por cento em relação à temporada anterior, segundo a Céleres, apesar da queda na colheita de verão, que sofreu cortes em relação à estimativa inicial, para 34 milhões de toneladas, devido à seca.

Segundo o relatório, a colheita de milho de verão já entrou na reta final, totalizando mais de 93 por cento da área semeada, em um aumento de 3,1 por cento em relação à semana anterior. O índice indica um avanço de mais de 10 pontos percentuais na comparação com esta época no ano passado.

Já no mercado internacional, os preços têm tido suporte das notícias de que a China comprará milho para regular seus estoques, além da previsão de um clima mais frio nos Estados Unidos, que pode afetar a região produtora do grão e atrapalhar o bom desempenho da safra, informou a Céleres.

SOJA

Continua após a publicidade

A safra de soja do Brasil encontra-se na etapa final de colheita.

Em outro relatório divulgado nesta segunda-feira, a Céleres estimou que 97 por cento da área havia sido colhida, contra 93 por cento na semana anterior e acima dos 95 por cento somados no mesmo período de 2011.

No que se refere a comercialização, 77 por centro da safra 2011/12 já foi vendida, avanço de dois pontos ante a semana anterior.

Para a próxima safra 2012/13 estima-se que 30 por cento tenha sido vendido no Mato Grosso e 20 por cento no Paraná.

Segundo a Céleres, as previsões para as cotações da soja continuam firmes, devido ao baixo volume de oferta e a forte demanda.

Por conta da alta comercialização registrada, espera-se uma desaceleração das vendas nas próximas semanas.

(Reportagem de Patrícia Monteiro)

Continua após a publicidade
Publicidade