Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Colapso da corretora MF Global atinge bolsas de futuros

Corretora está em situação de moratória. Bolsas tentam suspender negócios ligados à MF

Por Da Redação 1 nov 2011, 09h53

O colapso da corretora norte-americana MF Global Holdings Ltd afetou operações em várias bolsas de futuros nesta terça-feira, com suspensões de operações de entidades que estavam ligadas à empresa. As bolsas moveram-se para suspender qualquer negócio ligado à MF Global e também limitaram operações feitas por clientes da companhia, que entrou com pedido de recuperação judicial na segunda-feira após registrar grandes prejuízos em operações com dívida da zona do euro.

A clearing LCH.Clearnet, de Londres, que faz trabalhos para diversas bolsas europeias, afirmou que a MF declarou moratória. A MF Global se tornou o caso de maior visibilidade de empresas vitimadas pela crise na zona do euro até o momento e trouxe de volta lembranças do colapso do Lehman Brothers em 2008, ponto a partir do qual a crise global se intensificou. Mas participantes do mercado disseram que a queda da MF não deverá ter o mesmo impacto, principalmente pelo seu tamanho, cerca de um décimo do volume que então era negociado pelo Lehman.

“Apesar disso não ser um Lehman, as pessoas vão ficar mais cautelosas, com receio de existirem outros casos como o da MF por aí”, afirmou Ang Kok Heng, que colabora na gestão de 390 milhões de dólares na Phillip Capital Management. Hengi citou que a quebra de uma corretora era mais difícil de evitar que a de um banco, que geralmente possui o suporte de outros bancos e mesmo de bancos centrais.

Na segunda-feira, a CBOE Holdings Inc disse que restringiu operações por parte de clientes da MF Global, que poderiam apenas liquidar suas posições. Operações em futuros como ouro, petróleo e grãos caíram bastante e ficaram concentradas na desmontagem de posições. Corretores da MF foram impedidos de operar.

O Federal Reserve de Nova York encerrou a atuação da MF Global como sua operadora e a IntercontinentalExchange, que controla várias bolsas na Europa e América do Norte, permitiu apenas operações de liquidação de posições por parte da MF, assim como a Singapore Exchange Ltd.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade