Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Coca-Cola tem queda de vendas no 3º trimestre no Brasil

Segundo vice-presidente, resultado se deve ao cenário macroeconômico brasileiro, considerado "desafiador"

Por Da Redação 9 dez 2013, 16h30

O vice-presidente de comunicação da Coca-Cola no Brasil, Marco Simões, afirmou nesta segunda-feira que a empresa registrou queda nas vendas no mercado brasileiro no terceiro trimestre, como reflexo do cenário macroeconômico, que ele classificou de “desafiador”. Segundo Simões, a empresa foi afetada pela redução da “disponibilidade de renda” das famílias, mas disse que esta é uma situação “circunstancial”.

No terceiro trimestre, a empresa teve queda de 1% nas vendas, o que impactou o resultado da companhia para a América Latina. Em todo o mundo, o faturamento no período foi 2,5% menor do que em 2012. Simões não quis estimar os números de vendas para o ano.

“A indústria como um todo teve queda neste período e a Coca-Cola caiu menos do que a média da indústria”, ponderou o executivo, em coletiva de imprensa durante o Clinton Global Initiative – Latin América no Rio de Janeiro. “Foi um terceiro trimestre desafiador do ponto de vista macroeconômico, mas foi algo pontual e temos certeza que vamos fechar 2013 positivo”, completou.

Leia mais:

Tribunal de Justiça diz que vestígio de roedor em Coca-Cola pode ser fraude​

Continua após a publicidade

Coca-Cola Light volta ao mercado ‘a pedido dos consumidores’, diz empresa

Segundo o executivo, o mercado de consumo no Brasil foi afetado pela disponibilidade de renda, emprego e preços relativos. “Neste caso, a disponibilidade de renda menor não permitiu margem para o consumo. Foi uma queda momentânea. É uma questão circunstancial”, afirmou Simões.

Social – A Coca-Cola Brasil anunciou investimento de 16 milhões de dólares na expansão de seus projetos sociais no país até 2017. Segundo o presidente da empresa, Xiemar Zarazúa, está em estudos estender os projetos para três outros países da América Latina. Segundo ele, a expansão deve beneficiar 30 mil pessoas em sete áreas como empreendedorismo de mulheres e jovens.

Leia ainda: Pedidos de falência recuam em novembro, informa Serasa

​Conheça as marcas ‘dissidentes’ que decidiram voltar ao Brasil

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade