Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cobertura mais cara de Manhattan está à venda. Quer comprar?

Imóvel de 1.500 metros quadrados custa 118,5 milhões de dólares e está localizado nos últimos andares do hotel Ritz-Carlton, no sul da ilha

Uma cobertura de luxo localizada no sul de Manhattan com vista para o rio Hudson e para a Estátua da Liberdade acaba de ser colocada à venda pela bagatela de 118,5 milhões de dólares (mais de 260 milhões de reais). O imóvel, situado nos dois últimos andares do prédio do hotel Ritz-Carlton da área de Battery Park, se tornou a propriedade em venda mais cara da cidade, com preço superior ao da cobertura de 110 milhões de dólares no antigo edifício Woolwourth.

O imóvel é composto de três apartamentos combinados que somam um total de quase 1.500 metros quadrados, aos quais são acrescentados ainda outros 200 metros quadrados referentes a dois terraços.

Um dos apartamentos possui cinco quartos e tem vistas para a Estátua da Liberdade e para o One World Trade Center, que havia sido posto à venda no ano passado por 56 milhões de dólares, segundo o jornal The Wall Street Journal.

Leia também:

Antiga mansão de Walt Disney é vendida nos EUA

Casa mais cara dos EUA é vendida por US$ 147 milhões

Apartamento em Londres é vendido por US$ 237 milhões, recorde do país

Esse primeiro apartamento é propriedade de Gary Segal, dono também de outra das unidades que estão a venda, um apartamento de três quartos e dois banheiros que comprou há apenas dois meses por 11 milhões de dólares.

A terceira propriedade é outro duplex de quatro quartos e cinco banheiros propriedade do financista Randall Yanker, que a comprou em 2005 por 4,7 milhões de dólares e até há um mês pedia por ela 19 milhões de dólares.

Até o momento, o apartamento mais caro vendido na cidade era avaliado em 88 milhões de dólares, em 2012, no exclusivo edifício 15th Central Park West, na zona do Upper West Side de Manhattan.

Recentemente, também foi vendido por cerca de 70 milhões de dólares outra cobertura localizada do outro lado do Central Park, no bairro do Upper East Side.

(Com EFE)