Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

CMN autoriza intermediário em exportação pela internet

Por Da Redação 28 jul 2011, 17h32

Por Célia Froufe e Eduardo Rodrigues

Brasília – Empresas brasileiras poderão passar a usar uma companhia intermediária que garanta o pagamento digital para vender seus produtos e serviços para o exterior via internet. A possibilidade foi aprovada hoje pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), mas ainda precisa de uma regulamentação pelo Banco Central. A autoridade monetária, por sua vez, autorizará os bancos a darem vazão aos pagamentos.

Até agora, a venda de produtos brasileiros pela internet ao exterior só era possível por meio de uso de cartão de crédito. Para usar o serviço, as empresas interessadas em vender suas mercadorias e serviços precisam utilizar um banco. Cabe às instituições financeiras tomar os devidos cuidados com a transação, como ocorre hoje com cartões de crédito, de acordo com o gerente executivo de normatização de câmbio e capitais estrangeiros do BC, Geraldo Magela Siqueira.

Apesar de existir esse impedimento até agora para as companhias brasileiras, o uso de empresas intermediárias no Brasil era permitido para importação de produtos. “Havia uma assimetria desfavorável a nossos exportadores e agora estamos regulamentando para todas as empresas”, explicou Siqueira. “Nas compras no exterior, os nossos fornecedores não podiam se valer dessa sistemática e vamos permitir que essas empresas também possam fazer pagamentos em nome de importadores estrangeiros para os exportadores aqui”, continuou.

O gerente enfatizou que a permissão não se trata de uma alteração da regulamentação aduaneira ou comercial. Ele também previu que os volumes gerados por essas transações não devem ser importantes em termos de fluxo. O intuito é o de atender principalmente micro e pequenas empresas. O governo está de olho no aumento das transações por conta da Copa do Mundo, em 2014.

Um bom exemplo de segmento que se beneficiará da mudança, de acordo com Siqueira, é o de pequenas pousadas e hotéis, que vão oferecer seus serviços na internet para os estrangeiros que queiram se hospedar no Brasil por conta do evento esportivo. “Para quem não tem confiança de passar seu cartão de crédito a essas empresas, poderá fazer pagamento de forma antecipada por meio dessa intermediária”, salientou. “Essas intermediárias já têm confiança internacional e isso facilita o nosso recebimento”, acrescentou.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês