Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Cias abertas brasileiras lucram R$ 108,9 bi no semestre

Por Da Redação 29 ago 2011, 13h54

Por Equipe AE

São Paulo – O lucro de 335 empresas brasileiras de capital aberto somou R$ 108,9 bilhões no primeiro semestre deste ano, valor 29,8% superior ao apurado em igual período de 2010, quando as mesmas empresas lucraram R$ 83,9 bilhões, conforme levantamento divulgado hoje pela Economatica. O setor de mineração foi o principal responsável pelo crescimento nominal de R$ 25 bilhões, já que obteve no mesmo período expansão de R$ 12,3 bilhões.

No entanto, o setor que concentrou o maior volume de lucros no primeiro semestre de 2011 foi o bancário, representado por 24 instituições, com R$ 24,9 bilhões, valor 19% maior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando atingiu R$ 21 bilhões.

Na segunda posição ficou o setor de petróleo e gás, com cinco empresas que, juntas, alcançaram lucro de R$ 21,9 bilhões, alta de 33,7% ante os seis primeiros meses de 2010. Apesar de ser composto por cinco empresas, o resultado é representado praticamente pelo lucro da Petrobras.

O setor de mineração ficou com a terceira posição, com lucro de R$ 21,8 bilhões, valor 131,4% superior ao do mesmo período de 2010, quando as mineradoras lucraram R$ 9,4 bilhões. Também neste caso, o setor está representado majoritariamente pela Vale, que lucrou R$ 21,5 bilhões entre janeiro e junho.

Esses três setores com maior volume de lucros – bancos, petróleo e gás e mineração – juntos obtiveram R$ 68,7 bilhões, o que representa 63,2% do total do lucro das 335 empresas brasileiras de capital aberto brasileiras. No primeiro semestre de 2010, os mesmos três setores lucraram R$ 46,8 bilhões, 55,9% da soma dos resultado de todas as empresas no período. O crescimento do lucro dos três setores no primeiro semestre de 2011 com relação ao mesmo período de 2010 foi de R$ 21,9 bilhões ou 46,8%.

Dos 24 setores listados pela Economatica, somente o de Eletroeletrônicos apresentou prejuízo no primeiro semestre de 2011, de R$ 289 milhões.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)