Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chuvas mantêm atraso na moagem de cana no CS–Unica

SÃO PAULO, 26 Jun (Reuters) – As chuvas que persistem na região centro-sul do Brasil mantiveram atrasada a colheita de cana na safra 2012/13, e o ritmo da moagem está 28,7 por cento abaixo do registrado no mesmo período do ano passado, apontou nesta terça-feira a Unica, entidade que representa a indústria.

E em meio a um cenário climático desfavorável, a Unica alertou que poderá fazer nova avaliação das perspectivas para a atual safra ao final do próximo mês. A moagem do centro-sul, que representa cerca de 90 por cento do Brasil, está atualmente estimada em 509 milhões de toneladas, alta de 3 por cento ante a temporada anterior.

Do início da safra até 16 de junho, o setor processou 96,6 milhões de toneladas de cana, ante 135,4 milhões de toneladas no mesmo período de 2011.

Por consequência, também houve impacto na produção de etanol. Até 16 de junho, a produção somou 3,6 bilhões de litros na região, redução de 32,6 por cento ante a safra 2011/12.

Deste total, foram produzidos 965,6 milhões de litros de etanol anidro, com queda de 50 por cento ante a oferta do mesmo período do ano passado, quando a mistura na gasolina estava maior, em 25 por cento – atualmente está 20 por cento.

Já a produção de etanol hidratado somou 2,6 bilhões de litros no período, queda de 22 por cento em relação ao ano passado.

A produção de açúcar atingiu 4,89 milhões de toneladas até 16 de junho, redução de 28 por cento.

“As chuvas observadas em praticamente toda a região produtora de cana-de-açúcar no início de junho prejudicaram severamente a operacionalização da colheita pelas unidades produtoras da região centro-sul”, informou a entidade em comunicado.

A Unica acrescentou que o volume de chuvas em vários municípios situados em importantes regiões produtoras mais que dobrou ante igual período do ano passado, o que deve manter a defasagem na moagem da cana e produção de açúcar e etanol.

“Diante deste cenário, estamos monitorando todas essas variáveis e deveremos concluir uma nova avaliação da safra 2012/2013 ao final de julho”, disse Antonio de Padua Rodrigues diretor técnico e presidente interino da Unica, em nota.

Outro efeito da chuva é a redução dos índices de ATR (teor de sacarose na cana), o que vem prejudicando o rendimento industrial das unidades produtoras.

O teor de ATR por tonelada de matéria-prima atingiu 121,07 kg nos primeiros 15 dias de junho, queda de 7,63 por cento ante a mesma quinzena de 2011.

(Por Gustavo Bonato e Fabíola Gomes)