Clique e assine a partir de 9,90/mês

Chipre faz Bovespa ter menor patamar desde julho

Temor de que acordo para ajudar a solucionar crise do Chipre possa ser estendido a outros países europeus deixou investidores receosos

Por Da Redação - 25 Mar 2013, 19h46

A Bovespa fechou em baixa pela quinta sessão seguida nesta segunda-feira – e, novamente, no menor patamar desde julho passado. As incertezas criadas pela situação do Chipre permearam as ordens de vendas em todos os setores. Vale foi um dos destaques negativos, enquanto Oi e Gol lideraram as perdas do índice.

O Ibovespa terminou o dia com baixa de 0,67%, pela primeira vez no patamar de 54 mil pontos este ano. O índice fechou em 54.873,12 pontos, ainda o menor nível desde 26 de julho do ano passado (54.002,72 pontos). Na mínima, registrou 54.648 pontos (-1,08%) e, na máxima, 55.450 pontos (+0,37%). Nesses cinco dias no vermelho, acumulou perda de 3,7%. No mês, a baixa é de 4,44% e, no ano, de 9,97%. O giro financeiro totalizou 6,082 bilhões de reais, o menor do mês. Os dados são preliminares.

Os investidores até estavam mais aliviados pela manhã, com o acordo para ajudar a solucionar a crise do Chipre acertado na madrugada desta segunda-feira, no limite do prazo possível. Mas o temor de que o acordo possa ser estendido a outro país europeu em crise acabou deixando os investidores receosos.

E essa versão ganhou contorno mais forte com declarações do presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, de que o modelo do resgate cipriota poderia ser usado para outros países da zona do euro. Ele teria deixado claro em entrevista que o bloco não irá mais resgatar bancos sem impor perdas aos acionistas e investidores.

Continua após a publicidade

Leia também:

Chipre cogita imposto de 25% sobre grandes poupadores

Com a piora das bolsas após as declarações, ele veio a público dar um desmentido: “O Chipre foi um caso específico. Os programas de ajustes macroeconômicos são personalizados à situação de cada país e modelos não são usados”. Mas a declaração não impediu a queda das bolsas europeias e norte-americanas. O Dow Jones perdeu 0,44%, o S&P caiu 0,33%, e o Nasdaq recuou 0,30%.

Aqui, mais do que o cenário externo, a falta de apetite por ativos domésticos está inibindo uma recuperação do Ibovespa. Vale foi hoje um dos destaques de baixa, com rumores sobre a criação de uma nova tributação para o setor. A ação ON caiu 1,33% e a PNA, 1,69%. Bradespar, acionista da empresa, também recuou, 1,97%.

Continua após a publicidade

Ainda no setor, MMX ON recuou 2,88%. Os papéis do grupo X, no entanto, operaram com muita volatilidade na sessão, sendo que OGX ficou entre altas e baixas durante todo o dia. Acabou encerrando o pregão em +0,88%. OSX, por sua vez, despencou 13,73%. Petrobras ON perdeu 0,71% e a PN ficou estável. Oi ON recuou 6,27% e Gol PN, 5,84%, as duas principais quedas do índice.

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade