Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

China tem alta de 12,8% no superávit comercial em 2013

Exportações somam US$ 2,21 trilhões, importações ficam em US$ 1,95 trilhões e saldo positivo é de US$ 259,7 bilhões – desempenho melhor que em 2012

As exportações chinesas tiveram um crescimento de 7,9% em 2013 em relação ao ano anterior, enquanto as importações tiveram aumento de 7,3% no mesmo período, apontam dados oficiais divulgados nesta sexta-feira. O total exportado pela China em 2013 chegou a 2,21 trilhões de dólares (o equivalente a cerca de 5,3 trilhões de reais), enquanto as importações alcançaram 1,95 trilhão de dólares (4,7 trilhões de reais).

Leia mais:

Inflação na China atinge menor marca em 7 meses

China aprova plano piloto para montar bancos privados

Com isso, no ano passado o superávit comercial chinês totalizou 259,7 bilhões de dólares, o que significa um desempenho 12,8% maior do que em 2012. Pela primeira vez, o volume total anual de exportações e importações superou a faixa dos 4 trilhões de dólares, ao acumular 4,16 trilhões – aumento de 7,6% na comparação com o desempenho do ano anterior.

Os números divulgados pelo governo de Pequim trazem um único dado desapontador: o volume das exportações relativos ao mês de dezembro, que tiveram uma desaceleração em relação ao mês anterior e não cumpriram com as expectativas. No último mês do ano, as vendas para fora do país cresceram 4,3%, muito abaixo do aumento registrado em novembro (de 12,7%). Ao contrário, as importações superaram as previsões e subiram 8,3%, ante aumento de 5,3% em novembro.

Os números do comércio chinês foram divulgados um dia depois da publicação dos dados do IPC chinês, o principal indicador da inflação no país, que subiu 2,5% em 2013 e teve uma desaceleração de meio ponto em dezembro, chegando à mínima dos últimos sete meses e ficando abaixo do limite estabelecido pelo governo (de 3,5%), o que afasta o risco de medidas monetárias restritivas e traz alívio aos mercados.

Também foi informada a redução, pela 22º mês consecutivo, do índice de preços de produção (IPP), que mede o crescimento dos preços no atacado e que teve queda anualizada de 1,4% em dezembro.

No próximo dia 20, espera-se que a China anuncie os números do crescimento do PIB do quarto trimestre, assim como os relativos ao investimento e às vendas no varejo (indicador de consumo). Mesmo ainda restando esses dados, acredita-se que a economia chinesa cresceu 7,6% em 2013, segundo um relatório governamental publicado pela imprensa estatal no mês passado. Isso situaria o crescimento da segunda economia mundial acima do objetivo estabelecido pelo governo, de 7,5%.

O dado, no entanto, ficaria abaixo do crescimento de 7,7% alcançado em 2012, o mais baixo registrado na última década pela China, que agora trabalha para reconduzir sua economia rumo ao consumo interno, após décadas de dependência das exportações.

Leia também:

Cineasta chinês é punido com multa milionária por ter três filhos

(Com agência EFE)