Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

China repudia estratégia americana para valorizar o yuan

EUA aprovaram lei que prevê sanções se o governo chinês desvalorizar moeda

Por Da Redação 12 out 2011, 04h46

O Governo chinês e seu banco central condenaram a aprovação no Senado americano de um projeto de lei que prevê sanções contra a China se o país asiático não valorizar o yuan, e pediram a Washington que freie esta iniciativa pelo bem das relações bilaterais.

O porta-voz do Ministério de Comércio chinês, Shen Danyang, assegurou que o projeto aprovado nesta terça-feira supõe uma grave violação das regulações internacionais e envia um sinal errado, ao aumentar o protecionismo comercial. “A China não quer que as relações comerciais com os EUA se vejam gravemente danificadas se o projeto se transformar em lei”, advertiu o porta-voz, que acusou os senadores americanos de prejudicar os esforços mundiais para alcançar uma recuperação econômica global.

O Ministério das Relações Exteriores chinês pediu ao governo e ao Congresso dos Estados Unidos que se oponham firmemente à iniciativa do Senado. O Banco Popular da China, por sua vez, expressou sua “firme oposição” à iniciativa, que foi aprovada por 63 votos a favor e 35 contra, com o apoio de republicanos e democratas.

Contexto – Os EUA acusam a China de manter o yuan artificialmente desvalorizado com relação ao dólar, a fim de beneficiar suas exportações. A moeda chinesa, no entanto, foi parcialmente liberalizada em 2005, e desde então aumentou seu valor com relação ao dólar em 20%, embora a tendência tenha sido interrompida desde o começo da crise financeira de 2008.

O vice-ministro das Relações Exteriores chinês, Cui Tiankai, assegurou antes da votação no Senado que, se o projeto virar lei, provocará “uma guerra comercial entre China e EUA que se transformará em uma derrota para os dois países”.

(com Agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade