Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

“Chevron pode ser expulsa do Brasil”, diz Edison Lobão

Empresa poderá perder o direito de explorar petróleo no país se não reparar os danos causados pelo vazamento

Por Da Redação - 3 dez 2011, 16h39

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou neste sábado que a petrolífera americana Chevron pode ser “expulsa” do país caso não cumpra os acordos para reparar os danos causados pelo vazamento de petróleo na Bacia de Campos. “A empresa já foi fortemente penalizada pelo que fez e foi suspensa de fazer novas perfurações no Brasil, embora seja a segunda maior empresa do mundo”, afirmou Lobão a jornalistas na cidade de Teresina, capital do Piauí.

Leia mais:

Leia mais: ANP acusa Chevron de omitir informação sobre gás tóxico no Campo do Frade

O ministro lembrou que a Chevron deve pagar a multa de 50 milhões de reais que foi imposta pelas autoridades e também se responsabilizar pelos danos causados ao meio ambiente, que ainda não foram totalmente quantificados. “Estamos atentíssimos no sentido de que cumpra o seu papel ou então (a Chevron) será expulsa do Brasil”, completou Lobão.

Publicidade

A Chevron calcula que o vazamento na Bacia de Campos seja de 2.400 barris de petróleo, embora as autoridades do Rio de Janeiro apresentem outro número: 15.000 barris. A própria companhia foi encarregada de recolher o petróleo que subiu até a superfície. A mancha de óleo, que praticamente já desapareceu, está localizada a cerca de 120 quilômetros do litoral do Rio de Janeiro.

(Com agência EFE)

Publicidade