Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

CEO do Uber discute com motorista sobre preços do aplicativo

O vídeo, que dura cerca de 6 minutos, foi gravado no começo de fevereiro, no domingo da final do Super Bowl

Era para ser uma corrida normal de táxi, mas um vídeo de 6 minutos divulgado pela agência de notícias Bloomberg expôs uma situação bem embaraçosa entre o CEO do Uber, Travis Kalanick, e um motorista do próprio aplicativo.

Kalanick aparece no banco de trás do carro, entre duas mulheres. A câmera estava no painel do carro, colocada pelo próprio motorista, Fawzi Kamel. Uma das moças comenta que o Uber teve um ano difícil. O CEO da empresa responde que todos os anos são difíceis, mas é assim que ele faz as coisas. “Se for fácil, eu não estou me esforçando o suficiente”.

Pouco depois disso o motorista aproveita a oportunidade para se queixar. Ele reclama dos preços cada vez mais baixos das corridas por meio do aplicativo. “Você está elevando os padrões e baixando os preços”, diz Kamel ao chefão do Uber.

O CEO justifica a baixa, dizendo que existe concorrência e caso contrário estariam fora do negócio. O motorista retruca dizendo que ele teria perdido cerca de 97 mil dólares e ido à falência por conta das mudanças no Uber.

Kalanick avança e diz que não mudou o serviço Black, mas o motorista retruca dizendo que ele muda as coisas todos os dias. é quando o CEO parece perder a paciência: “Algumas pessoas não gostam de assumir a responsabilidade pelo próprio fracasso. É mais fácil culpar qualquer pessoa à sua volta. Boa sorte!”, disse, antes de bater a porta do carro e soltar um palavrão. Depois da discussão, o CEO ainda se vingou avaliando o motorista com apenas uma estrela, de acordo com reportagem da Bloomberg. 

O vídeo, que dura cerca de 6 minutos, foi gravado no começo de fevereiro, no domingo da final do Super Bowl, nos Estados Unidos.

 

 

 

Na noite desta terça-feira, a ficha caiu, e com a repercussão do vídeo, Kalanick pediu desculpas por seu comportamento. Ele enviou um e-mail para a equipe do Uber, que replicou em seu blog. “Dizer que estou envergonhado é uma subavaliação extrema”, escreveu. “Meu trabalho como líder é liderar (…) e isso começa com um comportamento que nos deixa a todos orgulhosos. O que eu fiz não pode ser explicado. Esta é a primeira vez que tenho vontade de admitir que preciso de ajuda para liderar e pretendo consegui-la”.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Luciano De Sousa

    Realmente é muito complicado manter a qualidade de um serviço, é continuar com o mesmo preço. ..

    Curtir

  2. Conseguiu se sair bem ainda. Pra quem n sabia q estava sendo filmado pelo menos n deixou escapar nada que pudesse manchar ele ou a empresa

    Curtir