Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cencosud nega negociar com o Carrefour no país

Expansão da rede chilena no país dependerá mais de inaugurações de lojas que de compras de outras companhias

O presidente e fundador da varejista chilena Cencosud (controladora das bandeiras GBarbosa, Bretas e Perini no Brasil), Horst Paulmann, disse nesta segunda-feira em Salvador que a expansão da rede no país dependerá mais de inaugurações de lojas que de compras de outras companhias. Ele também negou a possibilidade de adquirir a operação do Carrefour no Brasil, como já foi especulado.

Segundo Paulmann, a intenção do grupo é se expandir principalmente nos sete Estados em que já atua:-Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco e Sergipe. “O crescimento orgânico é muito importante, porque é muito mais econômico e nos permite avançar para onde queremos – e vamos avançar para o interior do Nordeste”, afirmou, acrescentando que a rede vai abrir cem lojas neste ano nos cinco países sul-americanos onde atua (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e Peru).

Paulmann não quis especificar os investimentos previstos, nem quantas lojas vai abrir no Brasil, mas a estimativa do setor é que seja a metade do total projetado pelo grupo, dado que, das 47 já inauguradas em 2011, 23 ficam no país.

A expectativa é que o faturamento no mercado brasileiro mais que dobre este ano: dos 3,5 bilhões de reais registrados no ano passado para 8 bilhões de reais. Apenas no primeiro semestre, o faturamento foi de 3 bilhões de reais, segundo o gerente-geral do grupo, Daniel Rodriguez. “O Brasil é o mercado que mais cresce na nossa operação”, afirma o executivo. “Se levarmos em conta apenas a venda em supermercados, a operação brasileira já é a segunda maior da rede, atrás apenas da chilena e à frente da argentina, onde estamos há 30 anos”.

Aprendizado – A Cencosud chegou ao Brasil fazendo barulho, em 2007, ao comprar a operação da rede sergipana GBarbosa, com atuação na Bahia, em Alagoas e Sergipe, por 430 milhões de reais. Já ali, estabeleceu-se como a quarta maior rede varejista do país. Seguiu uma política de aquisição de pequenas e médias redes varejistas regionais, que em comum tinham grande aceitação das marcas em seus mercados. Foi assim com a cearense Super Família, com as baianas Perini e Mercantil Rodrigues e com a mineira Bretas – esta a última aquisição da rede, em outubro do ano passado. Com a estratégia, transformou-se na rede que mais cresce no mercado doméstico, com avanço de 40% no ano passado, na comparação com 2009.

(com Agência Estado)