Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Caterpillar ganha US$ 1,586 bilhão no primeiro trimestre de 2012

Nova York, 25 abr (EFE).- O fabricante americano de máquinas pesadas Caterpillar informou nesta quarta-feira que no primeiro trimestre de 2012 teve um lucro líquido de US$ 1,586 bilhão, 29% a mais que o US$ 1,225 bilhão que ganhou entre janeiro e março do ano passado.

O dado que mais chama a atenção dos investidores é o lucro líquido por ação no período, que foi de US$ 2,37 cada, em comparação com o US$ 1,84 por título obtido no mesmo trimestre de 2011.

A receita da empresa com sede em Peoria (Illinois) alcançaram no período US$ 15,981 bilhões, 23% a mais que os US$ 12,949 bilhões registrados entre janeiro e março de 2011.

Seu presidente e executivo-chefe, Doug Oberhelman, destacou que os sólidos resultados obtidos no trimestre acontecem por um aumento da produção e da capacidade para satisfazer a demanda dos clientes, assim como um controle dos custos.

Ele acrescentou que há uma forte demanda global por produtos de mineração e um crescimento significativo da demanda nos Estados Unidos, que está suprindo o enfraquecimento observado na China e no Brasil.

Oberhelman informou que o crescimento também impactou no aumento do emprego, e a Caterpillar contratou 6.500 novos trabalhadores nos Estados Unidos e 7.200 fora do país.

Ele também afirmou que espera que suas vendas e receitas totais para 2012 se situem entre US$ 68 e 72 bilhões, e destacou que esperava um ano de firmes resultados em um momento no qual o setor da construção nos EUA ainda é fraco e as economias na Europa, China e Brasil se desaceleraram.

‘Embora seja difícil prever o momento exato, esperamos que o crescimento econômico aumente. A China e o Brasil tomaram medidas em 2011 para desacelerar suas economias e controlar a inflação’, disse o responsável da Caterpillar.

Após a abertura da Bolsa de Nova York, as ações da Caterpillar perdiam 2,54% até US$ 105,65 cada, enquanto neste ano foram revalorizadas 16,61% e caíram 2,94% nos últimos 12 meses. EFE