Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Casino pede arbitragem internacional contra Abílio Diniz

Rede varejista, sócia do Pão de Açúcar, solicitou providências da Câmara de Comércio Internacional desde o início das conversas entre Diniz e Carrefour

Por Da Redação 31 Maio 2011, 11h29

A família Diniz e o Casino controlam conjuntamente o Pão de Açúcar há anos e, sob o acordo de acionistas, a empresa francesa pode assumir o comando da companhia brasileira no próximo ano

A rede varejista francesa Casino solicitou arbitragem por meio da Câmara de Comércio Internacional para resolver conflito com o grupo da família Diniz sobre um pacto de acionistas que une as duas empresas no controle do Pão de Açúcar (Companhia Brasileira de Distribuição, ou CBD). O movimento é um sinal claro de que as relações entre os parceiros de duas décadas azedaram depois que Abílio Diniz, presidente do Grupo Pão de Açúcar, conversou com outra varejista francesa, o Carrefour, para explorar oportunidades em um possível acordo.

O Casino afirmou em documento entregue ao órgão regulador do mercado da França que pediu que a família Diniz respeitasse e cumprisse o pacto assinado em 27 de novembro de 2006 “com relação à joint venture (associação) Wilkes, que controla a CBD”. A companhia não quis fazer maiores comentários sobre o assunto, assim como o Carrefour.

A família Diniz e o Casino controlam conjuntamente o Pão de Açúcar há anos e, sob o acordo de acionistas, a empresa francesa pode assumir o comando da companhia brasileira no próximo ano. Nas últimas semanas, Abílio Diniz tem negociado com o Carrefour sobre várias potenciais opções de união, incluindo uma troca de ações, segundo pessoas próximas da situação.

O conselho supervisor do Carrefour deverá se reunir hoje e os diretores poderão discutir as operações da empresa no Brasil, de acordo com uma fonte. Uma união com o Pão de Açúcar pode fortalecer a posição do Carrefour no Brasil, enquanto a empresa enfrenta dificuldades na França. O Pão de Açúcar possui mais de 1.300 lojas, enquanto o Carrefour tem 500.

Continua após a publicidade

Mas o Carrefour também enfrenta problemas no Brasil. A companhia incorreu em encargos de 550 milhões de euros no ano passado, relacionados a anos de má administração de seus hipermercados. Uma fusão das operações do Carrefour com o Pão de Açúcar também poderia provocar investigações antitruste, já que as duas companhias combinadas controlariam quase 30% do mercado, segundo analistas.

Pão de Acúcar – A Companhia Brasileira de Distribuição divulgou a correspondência recebida do seu sócio Casino Guichard Perrachon, na qual o grupo francês confirma que apresentou, junto com suas subsidiárias Segisor e Sudaco Participações, requerimento de instauração de procedimento arbitral perante a Câmara de Comércio Internacional (ICC), em Paris, contra a família Diniz.

“O procedimento arbitral, cujos termos estão submetidos a obrigação de confidencialidade, tem por finalidade assegurar o perfeito cumprimento dos acordos de acionistas arquivados na companhia e dos demais contratos celebrados entre os acionistas controladores”, diz a correspondência do Casino.

O Casino diz ainda, na carta, que manterá a companhia informada “sobre os demais eventos relevantes que venham a suceder com relação a este assunto”, e solicita à administração do Grupo Pão de Açúcar que torne público o inteiro teor da comunicação “antes da abertura dos negócios na BM&FBovespa no dia 31 de maio de 2011, assegurando, desta forma, que o mercado opere com adequada informação”. Entretanto, o documento só foi divulgado na Comissão de Valores Mobiliários após a abertura do pregão.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade