Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Carrefour dá início ao processo de lançamento de ações em bolsa

Carrefour teve lucro líquido de 199 milhões de reais no primeiro trimestre no Brasil, segundo maior mercado para a varejista francesa

O Carrefour, segundo maior varejista do mundo, deu início ao processo de listagem em bolsa das operações no Brasil. O Atacadão, controlador do grupo  Carrefour no Brasil, apresentou ontem à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) um prospecto preliminar para lançamento de uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações no Novo Mercado, segmento de mais alta governança corporativa da B3.

A rede opera no país com Carrefour Hipermercado, Carrefour Bairro, Carrefour Express, Carrefour Drogaria, Carrefour Posto, Atacadão e Supeco, além do comércio eletrônico.

O prospecto traz o histórico do desempenho financeiro das operações brasileiras do Carrefour no primeiro trimestre e nos últimos três anos. Entre janeiro e março, o Carrefour teve lucro líquido de 199 milhões de reais no Brasil, suas vendas totalizaram 11,22 bilhões de reais e o Ebitda ajustado somou 729 milhões de reais.

A operação, que inclui ofertas primária (papéis novos) e secundária (ações detidas por atuais sócios) terá o Itaú BBA como coordenador líder, acompanhando de Bank of America Merrill Lynch, Goldman Sachs, JPMorgan, Bradesco BBI e Santander Brasil.

De acordo com informações no prospecto preliminar da operação, o Carrefour, o Carrefour Nederland e a Península, veículo de investimento da família do empresário Abilio Diniz, serão vendedores na oferta secundária.

Com a operação, a varejista francesa planeja acelerar a expansão das atividades no país, seu segundo maior mercado depois da própria França.

A iniciativa do Carrefour reforça a leitura de que a captação no mercado de capitais doméstico dá sinais de retomada, após vários anos praticamente parado e está se mantendo, mesmo diante do recrudescimento da crise política no país, após denúncias de corrupção e pedidos de renúncia contra o presidente Michel Temer.

Na semana passada, bancos sócios do IRB Brasil Resseguros aprovaram a retomada dos preparativos da companhia para um IPO. Em abril, a companhia aérea Azul marcou sua estreia na B3 com um IPO de 2 bilhões de reais. Neste ano já estrearam na B3 a locadora de veículos Movida e o laboratório médico Hermes Pardini.

Além do Atacadão, aguardam aval da CVM para um IPO a empresa de tecnologia Tivit, o grupo farmacêutico Biotoscana Investments e a empresa de geração renovável de energia Omega.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)