Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Campos se esquiva de apoiar Marina em críticas à política econômica de Dilma

Evitando endossar declarações de Marina, para quem tripé econômico foi fragilizado, governador diz apenas que "tem acompanhado" as falas da ex-senadora

Por Talita Fernandes, de Recife - 15 out 2013, 19h33

Um dia depois de a ex-senadora Marina Silva e a presidente Dilma Rousseff trocarem farpas sobre a política econômica petista, o governador de Pernambuco e pré-candidato à Presidência, Eduardo Campos (PSB-PE), evitou endossar a opinião da nova companheira de partido. Ao ser questionado se concorda com as críticas feitas por Marina à deterioração do “tripé econômico” (superávit fiscal, meta de inflação e câmbio flexível), Campos disse apenas que “tem acompanhado” as falas da ex-senadora. “Mais do que levantado críticas, têm sido apontados caminhos”, esquivou-se. “É esse o debate que nós queremos fazer. Um debate em que se reconhece o que houve de bom, de mudança positiva na vida do brasileiro nos últimos anos. Mas a gente também reconhece a necessidade de aprofundar o debate e levar o país à retomada do crescimento.”

Leia também:

Reinaldo Azevedo: Dilma trata Marina como a real liderança de oposição. É uma estratégia

Governo terá doze pastas para “seduzir” PP e PSD

Publicidade

Rede recusa �cargos no PSB e mantém criação de partido

O governador falou à imprensa após participar, nesta terça-feira, da abertura da 30ª Conferência Mundial de Parques Científicos e Tecnológicos e do 23º Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas, que acontecem no Recife.

Na segunda-feira, Marina Silva esteve na capital pernambucana, onde fez críticas ao governo federal dizendo que a marca política de Dilma é a do “retrocesso” e que a política econômica vem sendo negligenciada, o que poderia colocar em risco as conquistas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Depois de uma palestra realizada na Universidade de Pernambuco (UPE), Marina jantou com Campos na casa do governador em sua primeira viagem ao Recife depois de ter anunciado sua filiação ao PSB.

Dilma respondeu às críticas de Marina no mesmo dia, em entrevista a rádios mineiras. Na ocasião, a presidente disse que seus adversários deveriam estudar para estarem mais preparados. As críticas da petista também foram levadas ao governador pernambucano, que mais uma vez se manteve reservado em seus comentários: “Eu acho que estudar é sempre bom. Eu procuro sempre estudar, seja com a academia, com os livros ou com o povo”, disse.

Publicidade