Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Cameron e Sarkozy batem boca antes de reunião de cúpula europeia

Por Da Redação 8 dez 2011, 21h15

O premiê britânico, David Cameron, protagonizou um bate-boca nesta quinta-feira com o presidente da França, Nicolas Sarkozy, informou o jornal The Guardian. O político inglês teria ficado furioso com o que classificou com uma tentativa de Sarkozy de isolá-lo na reunião de cúpula da União Europeia, que acontece em Bruxelas. O líder francês insinuou, segundo o Guardian, que Cameron estaria tentando excluir o poderoso mercado financeiro do país – a chamada City londrina – da regulação financeira europeia.

Cameron teria usado o argumento de que o Reino Unido havia se tornado uma espécie de “bode expiatório” da crise na tentativa de articular uma forma de excluir o país da regulação europeia para o mercado de capitais. A informação é desmentida oficialmente por Bruxelas.

Políticos franceses reclamaram ao Guardian que estavam sozinhos na tentativa de fechar um acordo para impor regras fiscais mais duras à zona do euro. Já os ingleses argumentavam que Sarkozy estava propositalmente distorcendo o posicionamento britânico, que é apenas assegurar que as mudanças na união monetária não prejudicassem a City – o que não significa que o país não estaria disposto a seguir regras.

O desentendimento – Cameron teria discutido com Sarkozy na frente da chanceler alemã, Angela Merkel, numa reunião fechada. O embate se deu pouco antes de os líderes dos 27 países da UE se encontrarem para um jantar em que tentariam costurar um pacto para apoiar a nova integração fiscal da região.

A antipatia com a postura inglesa não parece ser exclusiva da França. Além de Sarkozy, Merkel e outros líderes da zona do euro têm se colocado contra Cameron e sua campanha para obter uma recompensa em troca da concordância da Inglaterra por um novo pacto fiscal.

Para o Guardian, o clima dessa reunião fechada deu o tom da tensa noite de negociações ora em curso, em que os líderes europeus tentam evitar a ruína da moeda comum da região. O foco deste encontro é definir se o Tratado de Lisboa será modificado, e como isso será feito. A reabertura do acordo teria como objetivo estabelecer um novo pacto de estabilidade para o euro, desta vez mais rigoroso, com penalidades semi-automáticas para aqueles que não respeitem as regra de controle fiscal; maior controle europeu sobre os orçamentos nacionais; e mudanças estruturais para consolidar a zona do euro como uma entidade mais poderosa.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês