Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

CÂMBIO-Dólar segue colado ao exterior e cai quase 0,50%

SÃO PAULO, 12 Abr (Reuters) – O dólar acompanhava o cenário externo e registrava queda ante o real nesta quinta-feira, diante do maior apetite por risco dos investidores após a divulgação de dados econômicos mistos dos Estados Unidos.

Às 11h33 (horário de Brasília), o dólar caía 0,48 por cento, cotado a 1,8258 real.

“Houve uma reação geral nos mercados após os dados dos Estados Unidos, e o dólar está caindo ante o real assim como em relação ao euro e à cesta de moedas”, afirmou um diretor de tesouraria que pediu para não ser identificado.

O euro tinha alta de quase 0,50 por cento, a 1,3172 dólar, enquanto em relação a uma cesta de moedas a moeda norte-americana também perdia 0,50 por cento.

Nesta manhã, foi divulgado que os novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos subiram para 380 mil na última semana, o maior nível desde janeiro, o que pode provocar temores de que a recuperação do mercado de trabalho está se enfraquecendo após a desaceleração da criação de postos de trabalho vista em março.

Por outro lado, o déficit comercial dos Estados Unidos diminuiu inesperadamente em fevereiro, segundo relatório do Departamento do Comércio divulgado nesta quinta-feira. O déficit comercial mensal da maior economia do mundo encolheu 12,4 por cento, para 46,0 bilhões de dólares, o maior declínio mensal desde maio de 2009.

O diretor acredita que essa queda do dólar frente ao real pode atrair uma atuação do Banco Central por meio de leilões de compra de dólares à vista e enxugar um excesso liquidez momentâneo, deixando os investidores mais cautelosos.

“Nesses níveis, o mercado já começa a ficar apreensivo em relação a possíveis entradas do BC no mercado de câmbio”, afirmou o diretor. “Mas não acho que uma entrada do BC possa reverter essa tendência de queda, mas apenas diminui-la”, emendou.

Para o operador de câmbio da B&T Corretora Marcos Trabbold, a probabilidade de intervenção nesses níveis são menores, uma vez que a divisa dos Estados Unidos continua afastada de 1,80 real. “O BC pode entrar hoje, mas é mais provável que ele entre se a cotação ameaçar 1,80 real, o que não está acontecendo nesta sessão”, disse.

Na quarta-feira, no entanto, a autoridade monetária fez uma leilão de dólares à vista depois de vários dias, com o dólar na casa de 1,83 real. Com isso, a moeda norte-americana fechou o dia com ligeira valorização de 0,09 por cento, a 1,8346 real.(Reportagem de Natália Cacioli; Edição de Patrícia Duarte)