Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

CÂMBIO-Dólar atinge R$1,90 e aumenta expectativa por ação do BC

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 24 de novembro (Reuters) – O dólar subiu quase 2 por cento e fechou perto de 1,90 real nesta quinta-feira, aumentando a expectativa no mercado por novas intervenções do Banco Central (BC) em meio à piora da crise na zona do euro.

A moeda norte-americana fechou a 1,8921 real para venda, com valorização de 1,74 por cento. Na máxima do dia, o dólar chegou a ser cotado a 1,9036 real, maior nível desde 3 de outubro, quando atingiu 1,9185 real durante os negócios.

Apesar do feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos, que reduziu o volume do mercado em todo o mundo, continuou a imperar a preocupação com a crise da dívida da zona do euro.

A agência de classificação de risco Fitch reduziu a grau especulativo a nota de Portugal, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, reiterou a oposição do país à emissão de bônus conjuntos da zona do euro para fortalecer as finanças de países que, como Grécia e Irlanda, precisaram pedir ajuda financeira internacional.

A piora externa aumenta a aversão a risco, com impacto direto sobre o real e as commodities, principal componente da pauta de exportações do Brasil. Em novembro, o dólar já acumula valorização de 11,13 por cento.

A volta do dólar ao patamar de 1,90 real esquentou a expectativa por novas atuações do BC, que ainda não interveio no mercado em novembro. Operadores ouvidos pela Reuters listaram como possíveis ações a realização de leilões de swap cambial, a venda de dólares no mercado à vista ou a oferta de linhas de crédito em dólar.

Em agosto, porém, o diretor de Política Monetária do BC, Aldo Mendes, disse que a atuação do banco se pautava pelo fluxo, o que indica que a venda de dólares no mercado só ocorreria caso houvesse uma saída repentina de moeda.

Os dados mais recentes de fluxo cambial, porém, até o momento mostram uma situação equilibrada no câmbio, com entrada de 1,207 bilhão de dólares no mês até dia 18.

A taxa Ptax , calculada pelo BC e usada como referência para os ajustes de contratos futuros e outros derivativos de câmbio, fechou a 1,8660 real para venda, em alta de 1,19 por cento ante quarta-feira.

(Edição de Patrícia Duarte)